Corpo da menina de três anos foi enterrado em Michigan, EUA, e devorado por animais; crime ocorreu em 2015 e suspeitos serão julgados em julho

Erika Finley  e Khairy Simon foram acusados de chicotear e espancar filha de três anos por ela não saber usar o penico
Reprodução/Metro.co.uk
Erika Finley e Khairy Simon foram acusados de chicotear e espancar filha de três anos por ela não saber usar o penico

Uma mãe que espancou e chicoteou sua filha de três anos até a morte compareceu ao tribunal nesta semana para mais uma etapa do julgamento. Erika Finley foi presa em 2016 depois de matar a pequena Kimora a socos por ter se irritado com “a demora da criança para aprender a usar o penico”. A acusada retornou a corte de Michigan, Estados Unidos, nesta quinta-feira (14).

Leia também: Policial grávida é presa por arrancar nariz da melhor amiga com uma mordida

De acordo com informações do jornal Metro , o marido de Eryka, Khairy Simon, de 27 anos, foi ao tribunal e denunciou outras ações da mulher. Simon afirmou que tentou impedi-la de espancar a filha, mas que não conseguiu contê-la por ela ser mais forte do que ele. Durante a audiência, relembrou que a mulher costumava ficar muito nervosa com a dificuldade da criança em usar o penico . “Não queria compactuar com a morte de Kimora, mas, na época, senti que devia apoiá-la”.

Leia também: Bebê morre de hipotermia após mãe esquecer janelas da casa abertas nos EUA

Julgamento do casal que assassinou filha por causa de penico

As investigações policiais revelaram que o casal colocou o corpo da menina em um saco de lixo, o escondeu dentro de uma mochila e o enterrou perto dos trilhos do trem em 2015, quando o crime foi executado. Os oficiais informaram que o cadáver da criança não foi encontrado, e que acreditam que animais que vivem nas redondezas tenham devorado-no.  

As autoridades ainda expuseram que passaram a investigar o casal após denúncias feitas acerca do comportamento agressivo da dupla com a criança. Em audiências anteriores Finlay negou o envolvimento no assassinato da filha, afirmando que a criança estava sob os cuidados do pai.

Leia também: "É o meu ex", admite mulher após russo achar crânio no jardim e descobrir crime

Os parentes dos acusados alegaram que só foram notar que havia algo estranho ao ficarem mais de um ano sem receber visitas de Kimora e após a professora do filho mais velho do casal começar a questioná-lo sobre o sumiço da garota. A família de Simon relatou ter descoberto que a criança havia sido assassinada pela mãe “por não saber usar o penico ” depois das visitas da equipe policial. Erika Finley e Khairy Simon voltarão a corte de Genesee na próxima semana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.