Tamanho do texto

Primeira-ministra britânica também suspendeu contatos bilaterais de alto nível como medida punitiva após envenenamento do ex-coronel britânico; embaixada russa em Londres classificou atitude como "hostil e injustificada"

Além de expulsar diplomatas do Reino Unido, May também afirmou que a família real não comparecerá à Copa
Reprodução/Twitter
Além de expulsar diplomatas do Reino Unido, May também afirmou que a família real não comparecerá à Copa

Nesta quarta-feira (14), 23 diplomatas russos foram expulsos pela primeira-ministra britânica, Theresa May. A atitude aconteceu em retaliação contra o envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal na Inglaterra . Apesar de negar qualquer envolvimento com o ataque, os contatos bilaterais de alto nível com a Rússia também foram suspensos.

De acordo com May , os diplomatas têm um semana para saírem do Reino Unido. Chamados de “oficiais de inteligência não declarados”, essa é a maior expulsão de representantes estrangeiros do País, desde a Guerra Fria, conforme informou a Associated Press .

O envenenamento do ex-coronel de serviço de inteligência fez com que o Reino Unido culpasse a Rússia pelo ocorrido. Em um ultimato feito por May ao Kremlin para esclarecer o caso, Moscou recusou-se e ainda declarou que só faria um pronunciamento quando tivesse acesso a uma amostra da substância usada no envenenamento de Sergei Skripal.

“Não há nenhuma conclusão alternativa, além do fato de que o Estado russo foi culpado pela tentativa de assassinato de Skripal e sua filha e por ameaçar a vida de outros cidadãos britânicos em Salisbury", declarou May. "Isso representa um uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido", afirmou ela, de acordo com a Reuters .

Além da expulsão dos diplomatas, a primeira-ministra britânica também vetou a participação da família real e ministros na Copa do Mundo da Rússia, que se inicia em meados de junho, aumentou as medidas de controle em voos privados e alfândegas, e também providenciou o congelamento dos ativos do estado russo, que poderiam ser usados para ameaçar cidadãos ou residentes do Reino Unido.

Leia também: Putin 'provavelmente aprovou' morte de espião, diz inquérito britânico

Embaixada critica atitude

Para a embaixada da Rússia em Londres, as atitudes de May foram encaradas como “hostis e injustificadas”. “Consideramos essa ação hostil totalmente inaceitável, injustificada e míope.Toda a responsabilidade pela deterioração do relacionamento Rússia-Reino Unido reside na atual liderança política da Grã-Bretanha”, comunicou o órgão em nota.

Segundo o que já havia sido informado pelo governo russo, a ação punitiva da primeira-ministra deverá provocar uma resposta.

Envenenamento

No início do mês, o ex-espião russo e sua filha, Yulia, foram envenenados com um agente químico em uma tentativa de homicídio.  Segundo a polícia antiterrorismo de Londres, Skripal era um alvo direcionado, por isso o ataque significa um “risco modesto” para a população em geral.

De acordo com jornais britânicos, a Rússia seria a responsável pelo ataque contra Skripal – em um caso semelhante ao também ex-espião Alexander Litvinenko, morto por envenenamento em 2006. Com a possibilidade de o governo russo estar por trás da tentativa de assassinato, a primeira-ministra britânica Theresa May ameaça boicotar a Copa do Mundo 2018, caso seja comprovada a participação do Kremlin.

Leia também: Ex-espião russo foi intoxicado por agente químico; May ameaça boicote à Copa


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.