Tamanho do texto

Cargo mais alto na classificação de um secretário do gabinete presidencial será ocupado por Mike Pompeo; "fará um trabalho fantástico", disse Trump

Na época que nomeou Rex Tillerson, Trump disse que havia escolhido um 'verdadeiro e grande líder do mundo empresarial'
Reprodução/Twitter
Na época que nomeou Rex Tillerson, Trump disse que havia escolhido um 'verdadeiro e grande líder do mundo empresarial'

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demitiu nesta terça-feira (13) o secretário de Estado, Rex Tillerson. A informação, que foi dada primeiramente pelo jornal norte-americano The Washington Post,  foi confirmada pelo próprio republicano em sua página no Twitter.

Leia também: Reunião histórica entre Trump e Kim Jong-un é vista com otimismo; veja reações

O cargo de secretário de Estado – a mais alta classificação de um secretário do gabinete presidencial norte-americano, tanto na linha de sucessão quanto na ordem de precedência –, ocupado por  Rex Tillerson desde fevereiro de 2017, será assumido pelo diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), Mike Pompeo. 

"Ele vai fazer um trabalho fantástico!", disse Trump sobre Pompeo. "Obrigado a Rex Tillerson pelo seu serviço", prosseguiu. No mesmo tweet, o republicano afirmou que, para completar a 'dança das cadeiras', Gina Haspel vai assumir a diretoria da CIA, passando a ser a primeira mulher a liderar a agência de inteligência. 

Amigo de Putin e descontente com a Casa Branca

Nascido em 23 de março de 1952, no Texas, Tillerson sucedeu John Kerry, que trabalhava como secretário de Estado do presidente Barack Obama. Quando cogitado secretário, ele já era conhecido por ser CEO da multinacional de petróleo e gás ExxonMobil, desde o início de 2006.

Mas suas amizades é que causaram polêmica . Afinal, em 2013, ele recebeu a medalha da "Ordem de Amizade" da Rússia e passou a ser conhecido por suas boas relações com o presidente russo Vladimir Putin. 

Na época de sua escolha para o cargo, o então presidente eleito dos Estados Unidos disse, no Twitter, que escolheu um "verdadeiro e grande líder do mundo empresarial" para o cargo.

Hoje, Tillerson foi afastado, após 14 meses no cargo. Porém, a sua saída não foi uma surpresa para quem o acompanhava na rotina da Casa Branca. Em 30 de novembro do ano passado, aliás, ele já havia escrito um texto no jornal  The New York Times avisando que o governo tentava forçar a sua saída.

Leia também: Entenda como a eleição de Trump afeta a luta contra o racismo

Além de descontente com a cúpula do governo, Rex Tillerson também foi bastante criticado pela forma como desempenhava o cargo e os cortes que implementou no Departamento de Estado.

* Mais informações em instantes.

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.