Ciro Aranda, de apenas um ano e dois meses, faleceu no início do mês de dezembro, vítima de uma pneumonia; crime foi registrado na Argentina

O corpo de um bebê argentino pode ter sido roubado por uma seita satânica, a polícia local está suspeitando
Reprodução/Daily Mail
O corpo de um bebê argentino pode ter sido roubado por uma seita satânica, a polícia local está suspeitando


A polícia da cidade de Otamendi, na Argentina, suspeita que uma seita satânica está envolvida no roubo do corpo de um bebê, Ciro Aranda, que desapareceu do cemitério. De acordo com o Daily Mail , a criança faleceu dia 10 de dezembro, enquanto o sumiço de seu corpo foi registrado no dia 24 de dezembro.

Leia também: Autoridades norte e sul-coreanas farão encontro histórico na próxima terça-feira

Junto da polícia local, dos pais de Ciro, Alberto e Mara Aranda, os advogados alegam ter evidências de que uma seita foi a responsável pelo roubo. “Existe uma seita satânica que atua na região de Otamendi e realiza rituais. Esperamos que as investigações tragam resultados rápidos”, explicou o jurista responsável pelo caso.

O crime foi descoberto quando, na véspera do Natal, Alberto e Mara levaram flores para o cemitério onde o corpo do filho, que faleceu de pneumonia com um ano e dois meses de idade, estava. Chegando lá, porém, o casal descobriu que o caixão estava vazio.

Ainda segundo o Daily Mail , os pais perceberam que havia algo errado porque, como não havia covas disponíveis quando Ciro faleceu, o caixão do bebê precisou ficar em uma sala fechada, onde permaneceria até o inverno, quando um novo espaço seria disponibilizado.

A promotora Ana Maria Caro, que está à frente do caso, explicou que as autoridades estão conduzindo buscas em fazendas e cidades nos arredores. Ela confirmou que há um grupo satânico na região, mas não mencionou nenhuma ligação com o desaparecimento do corpo da criança.

Leia também: Itamaraty cobra da Venezuela informações sobre brasileiro preso há uma semana

Outros incidentes com cultos satânicos na Argentina

Esta não é a primeira vez que um caso policial, envolvendo cultos do gênero, acontece no país da América do Sul. No mês de dezembro, as autoridades prenderam Miguel Angel Jimenez, morador de Quimili, na província de Santiago del Estero, por um crime que chocou os locais.

Leia também: Alemã é acusada de guardar bebês mortos no congelador de sua casa

Miguel foi apontado como o responsável pelo estupro e esquartejamento de Mario Salto, de 11 anos, que aconteceu durante uma cerimônia satânica em julho de 2016.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.