O porta-voz do Kremlin afirmou, nesta sexta-feira (29), que o relacionamento com os Estados Unidos foi "a maior decepção do ano", um dia depois de o secretário de estado norte-americano 'desdenhar' da relação

O Kremlin respondeu ao artigo do secretário de Estado norte-americano, afirmando que 'só se dança tango a dois'
Reprodução/Wikipedia
O Kremlin respondeu ao artigo do secretário de Estado norte-americano, afirmando que 'só se dança tango a dois'

As relações diplomáticas entre os Estados Unidos e a Rússia foram “uma das maiores decepções de 2017” na visão do governo russo, segundo informou um porta-voz do Kremlin nesta sexta-feira (29). As informações são do canal de TV "CNN". 

Leia também: Irônico, Trump diz que 'cairia bem' o aquecimento global contra o frio nos EUA

“A relação Rússia-Estados Unidos e o posicionamento de Washington sobre nosso país só nos trazem desapontamentos”, afirmou o porta-voz Dmitry Peskov, durante a coletiva de imprensa realizada diariamente com os correspondentes.

Peskov ainda disse que os russos estão buscando manter bons relacionamentos com todos os países do mundo, mas que “o tango só pode ser dançado a dois”, insinuando a falta de “reciprocidade” em relação ao suposto mau tratamento vindo dos EUA.

A declaração polêmica do Kremlin hoje acontece apenas um dia depois que o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, escreveu que “os EUA e a Rússia têm um ‘relacionamento pobre’”, em um artigo de opinião publicano no The New York Times, em que faz uma análise do mandato de 2017 do Departamento de Estado.

Leia também: Putin chama explosão em supermercado de São Petersburgo de 'ato terrorista'

“Sobre a Rússia, nós não temos nenhuma ilusão em relação ao regime com que estamos lidando. Hoje, os Estados Unidos têm um relacionamento escasso com a Rússia, que invadiu seus vizinhos Geórgia e Ucrânia na última década, e minou a soberania das nações ocidentais – se envolvendo nas nossas eleições e em outras”, escreveu Tillerson.

Quando questionado sobre as declarações do presidente Donald Trump para o The New York Times sobre a investigação dos EUA sobre a intromissão russa nas eleições de 2016, Peskov disse que o Kremlin "ainda está perplexo".

Leia também: Revivendo trauma, Turquia prende suspeitos que planejavam ataques no Réveillon

“Nós, repetidamente, declaramos nossa opinião sobre a histeria antirussa, que é fomentada e mantida pelos EUA. Ainda estamos perplexos em relação a todas as investigações em andamento”, respondeu Peskov. "Isso, é claro, é um caso interno dos Estados Unidos, mas neste caso, está prejudicando nossas relações bilaterais, e lamentamos”, concluiu o porta-voz do Kremlin.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.