Em ato de reciprocidade, governo decidiu declarar o encarregado de negócios venezuelano no Brasil como "persona non grata"; no último sábado (23), Assembleia Constituinte da Venezuela expulsou embaixador brasileiro

Itamaraty: embaixador do Brasil na Venezuela, Ruy Pereira, foi declarado 'persona non grata' por aliados de Maduro
Fernando Stankuns/CC/EBC
Itamaraty: embaixador do Brasil na Venezuela, Ruy Pereira, foi declarado 'persona non grata' por aliados de Maduro

O governo brasileiro decidiu nesta terça-feira (26) declarar o encarregado de negócios da Embaixada da Venezuela no Brasil, Girard Antonio Delgado Maldonado, como persona non grata. A medida tomada pelo Itamaraty é uma resposta à decisão da Assembleia Nacional Constituinte que, no último sábado (23), declarou o embaixador do Brasil na Venezuela, Ruy Pereira, também como  persona non grata . Com a medida, Maldonado deverá deixar o país.

A decisão do Itamaraty deve ser oficializada ainda nesta terça-feira pelo Ministério de Relações Exteriores brasileiro. Como a Venezuela está sem embaixador no Brasil desde maio de 2016, quando o presidente Nicolás Maduro determinou que Alberto Castellar retornasse à Caracas após o Senado aprovar a abertura do processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff, Maldonado exerce o cargo máximo da diplomacia venezuelana no Brasil.

De acordo com o governo, o prazo para que o diplomata venezuelano deixe o Brasil será o mesmo que será dado pelo governo da Venezuela para que Ruy Pereira deixe o país vizinho.

Entenda a expulsão do embaixador brasileiro

A Assembleia Constituinte venezuelana foi eleita sob protestos violentos em agosto desse ano, num processo em que opositores ao chavismo alegaram ter sido manipulado pelo presidente Nicolás Maduro . Tão logo os integrantes do órgão tomaram posse, foi aprovada medida para reduzir as atribuições da Assembleia Nacional, o Congresso venezuelano, tomando para si as incumbências do Poder Legislativo no país.

Leia também: Presidente do Peru chama de 'erros' os crimes cometidos pelo ex-ditador Fujimori

A presidente da Assembleia Constituinte afirmou ao anunciar a expulsão do embaixador Ruy Pereira que a medida será mantida até que "se restitua a ordem constitucional que o governo Temer rompeu no Brasil, após a destituição da presidente Dilma Rousseff".

O posto de Ruy Pereira deve ser provisoriamente ocupado pelo integrante do corpo diplomático brasileiro na Venezuela encarregado de negócios. Trata-se do segundo representante do Brasil há mais tempo em solo venezuelano, atrás somente do próprio Ruy Pereira, que ocupava o cargo desde 2013.

Além de Pereira, Delci Rodríguez também declarou o encarregado de negócios do Canadá persona non grata . No caso do diplomata canadense, "a medida é uma resposta a sua permanente, insistente e grosseira intromissão nos assuntos internos da Venezuela", afirmou.

Para o Itamaraty a atitude da Venezuela “demonstra, uma vez mais, o caráter autoritário da administração Nicolás Maduro e sua falta de disposição para qualquer tipo de diálogo”.

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.