Tamanho do texto

Governo dos Estados Unidos criou nova orientação, proibindo o uso de outras seis expressões; internautas protestam com hashtag #CDC7words

Documentos do orçamento do Centro de Controle de Doenças de 2018 não poderão ter as sete expressões
Wikimedia Commons
Documentos do orçamento do Centro de Controle de Doenças de 2018 não poderão ter as sete expressões

O presidente Donald Trump proibiu que agentes do Centro de Controle de Doenças (CDC, em inglês) usem sete expressões em documentos do orçamento do órgão do ano que vem. A informação é do jornal Washington Post,  desta sexta-feira (15).

Leia também: Trump e Putin trocam elogios e falam sobre Coreia do Norte por telefone

As palavras proibidas pela administração de Donald Trump foram:

Vulnerável (vulnerable) 

Direito (entitlement)

Diversidade (diversity)

Transgênero (transgender)

Feto (fetus)

Baseado em evidência (evidence based)

Baseado na ciência (science based)

Analistas do CDC foram avisados na quinta-feira (16). O centro é responsável por pesquisas científicas sobre doenças, novas curas e tratamentos. Nos anos 1980, o órgão foi um dos primeiros centros de saúde a combater o vírus HIV, até então ainda não identificado.

Um dos funcionários falou com o jornal sob condição de anonimato. Segundo o analista, os colegas presentes na reunião ficaram "incrédulos" e reagiram dizendo: "É sério?", "É brincadeira?".

O porta-voz do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, ao qual os CDC é ligado, disse ao jornal que “continuará a usar a melhor evidência científica disponível para melhorar a saúde de todos os americanos”.

Em sua reportagem, o Washington Post ressalvou que a questão de como abordar temas como orientação sexual, identidade de gênero e direito ao aborto surgiu em diversos departamentos desde que Trump tomou posse nos  Estados Unidos, em janeiro.

Leia também: Mulheres da Arábia Saudita poderão dirigir motos e caminhões

Novas expressões

Algumas opções alternativas foram sugeridas pelo governo Trump para algumas das expressões.  Em vez de "baseado em ciência" ou "baseado em evidências", a frase sugerida é "CDC baseia suas recomendações em ciência em consideração com os padrões e desejos da comunidade".

No entanto,  em outros casos, nenhuma palavra de substituição foi oferecida de imediato.

Reações

No Twitter, o assunto virou uma dos mais comentados nos Estados Unidos e até a noite de sábado (16), liderava os trending topics no país, com 16 mil tweets com a hashtag CDC7words (CDC 7 palavras, em português).

Uma usuária, frustada com a decisão, fez a seguinte piada: “Quando eu concorrer nas eleições, o slogan da minha campanha será simplesmente: ‘Vulnerável diversidade do direito transgênero feto baseada em evidências baseada na ciência’”.


O presidente Donald Trump , que costuma usar o Twitter para fazer suas declarações, ainda não se pronunciou sobre o caso.

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.