Câmeras flagram explosão que deixou quatro feridos em Manhattan; assista

Bomba explodiu antes da hora, ferindo terrorista que queria atingir o maior terminal rodoviário do mundo; ataque que deu errado era uma 'vingança'

Assim como as três estações de metrô que passam pela região de Manhattan , o noticiário internacional parou nesta segunda-feira (11). Tudo porque um jovem identificado como Akayed Ullah, de 27 anos, foi autor de um atentado terrorista no maior terminal rodoviário do mundo, o Port Authority , localizado em Nova York, nos Estados Unidos.

Portando uma pipe-bomb, um artefato caseiro, Ullah tentou entrar no terminal rodoviário que conta com cerca de 230 mil passageiros por dia. Porém, a bomba explodiu dentro do seu bolso, frustrando o atentado terrorista e causando ferimentos graves no homem de 27 anos.

Imagens das câmeras de segurança mostram o momento exato em que o artefato explodiu, derrubando Ullah no chão do corredor. A explosão causou pânico entre os passageiros, que correram para longe do terrorista

Ele ficou gravemente ferido e foi detido pela polícia logo após a tentativa de ataque. Além dele, outras três pessoas ficaram lesionadas. 

Leia também: "Bloqueio marítimo pelos EUA é declaração de guerra", adverte Coreia do Norte

O jovem, que é de Bangladesh , mora nos Estados Unidos há anos e não tinha passagem nenhuma pela polícia. 

De acordo com o Departamento de Polícia de Manhattan , as linhas A, C e E do metrô – que passam pela região – tiveram o serviço interrompido e foram evacuadas para o trabalho dos policiais e do esquadrão antibombas, que foi imediatamente acionado.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, informou à imprensa que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está acompanhando pessoalmente as notícias sobre o incidente.

Terrorista agiu por 'vingança'

O homem que detonou uma bomba caseira na rodoviária mais movimentada de Nova York agiu por "vingança". Isso é que revela, ainda nesta segunda-feira, a imprensa norte-americana.

Citando fontes da agência de segurança e investigação norte-americana, o FBI, os jornais informam que Akayed Ullah, 27 anos, é originário de Bangladesh e trabalhava como taxista nos Estados Unidos. 

"Bombardearam meu país, então queria causar algum mal aqui", teria dito o terrorista , após ser detido pela polícia pelo atentado terrorista. 

Leia também: Em carta oficial, países árabes rejeitam decisão de Trump e pedem ação da ONU

* Com informações da Agência Ansa.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2017-12-11/video-explosao-atentado-terrorista.html