Barco com oito cadáveres em decomposição chega ao Japão e pode ser norte-coreano

Embarcações pesqueiras chegam ao território japonês com frequência devido às condições climáticas difíceis e ainda pela precariedade dos barcos
Foto: Reprodução/Japan Times
A Guarda Costeira do Japão encontrou oito corpos em um barco à deriva no litoral da província de Akita nesta segunda-feira (27)

A Guarda Costeira do Japão encontrou oito corpos em um barco à deriva no litoral da província de Akita nesta segunda-feira (27), segundo divulgou um porta-voz do esquadrão à Agência EFE . Segundo as informações primárias, os cadáveres seriam de pescadores norte-coreanos.

Leia também: Piso de casa noturna despenca e fere 40 pessoas em ilha espanhola

A nova descoberta acontece depois de outros dois corpos terem sido achados durante o último fim de semana, além do navio com oito marujos que chegou ao Japão na quinta-feira passada (23), que se identificaram como pescadores da Coreia do Norte “perdidos” por causa de um defeito no barco.

A embarcação encontrada hoje tinha sete metros de comprimento, e foi avistada pela primeira vez em frente a uma praia da cidade de Oga, no dia 24. Contudo, devido a uma forte ressaca, a patrulha japonesa não conseguiu chegar até o navio. Hoje, os corpos estavam em alto grau de decomposição, conforme contou o porta-voz da Guarda Litorânea.

As autoridades ainda não identificaram os nomes e nem mesmo o sexo das vítimas, já que isso ainda está sendo determinado pelos especialistas. Com essas informações, será possível saber a origem das vítimas, cuja embarcação precária é bastante propensa a ficar à deriva enquanto trabalham.

Leia também:  Blogueira italiana é presa por incentivar a anorexia entre jovens

Durante o fim de semana, a Guarda Costeira japonesa também encontrou os corpos de dois homens, em partes diferentes da Ilha de Sado, na província de Niigata, assim como os destroços de um bote. Junto a um dos cadáveres estavam vários maços de cigarro de tabaco norte-coreano, assim como restos de um navio e um colete salva-vidas com palavras escritas em hagul, do alfabeto da Coreia do Norte .

Condições precárias

Embarcações norte-coreanas chegam ao litoral japonês com bastante frequência, especialmente por causa das más condições meteorológicas, falta de equipamento de radar, defeito nos motores ou escassez de combustível – uma situação frequente no país de Kim Jong-un.

Em algumas ocasiões, como aconteceu nos últimos dias, os tripulantes acabam morrendo em alto-mar, e seus corpos chegam ao território japonês, o que levou a imprensa local a batizar este tipo de embarcação com o nome de “ navios fantasmas ”.

Leia também: Vulcão na Indonésia entra em atividade e faz 25 mil pessoas deixarem a região

Outras vezes, porém, os barcos chegam com os ocupantes vivos. As autoridades do Japão acreditam que os pescadores norte-coreanos se aventuram com frequência em locais distantes de seu litoral a fim de conseguir maior pesca, cumprindo as cotas de produção.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2017-11-27/japao-coreia-do-norte-mortos.html