A Coreia do Norte já esteve na lista de países que 'patrocinam atos de terrorismo'– na qual estão incluídos o Irã, o Sudão e a Síria –, mas foi retirada pelo presidente republicano George W. Bush, em 2008; veja consequências

Donald Trump fez um discurso público hoje, em que afirma que decisão levará a novas sanções contra a Coreia do Norte
Reprodução/Instagram
Donald Trump fez um discurso público hoje, em que afirma que decisão levará a novas sanções contra a Coreia do Norte

O presidente Donald Trump anunciou nesta segunda-feira (20) que irá incluir a Coreia do Norte na lista dos países ‘patrocinadores do terrorismo’. Com a decisão, o republicano dá mais um passo para o aumento da tensão entre seu governo e o do líder asiático, Kim Jong-un. As informações são da rede de TV americana  CNN. 

Leia também: Merkel não chega a acordo com partidos e fica sem coalizão para governar

Donald Trump fez um discurso público em seu Gabinete, na Casa Branca, hoje, em que afirma que a decisão levará a novas sanções contra a Coreia do Norte, as quais serão anunciadas pelo Departamento de Tesouro dos Estados Unidos nesta terça-feira (21).

“Hoje, os Estados Unidos estão classificando a Coreia do Norte como ‘patrocinador do terrorismo’. Isso deveria ter ocorrido há muito tempo. Deveria ter acontecido há anos”, defendeu o presidente norte-americano.

A Coreia do Norte já esteve na lista – na qual estão incluídos o Irã, o Sudão e a Síria –, mas foi retirada pelo presidente republicano George W. Bush, em 2008.

Trump ainda disse em seu discurso que o país asiático tem “patrocinado atos de terrorismo repetidamente”, incluindo “assassinatos em território estrangeiro”. “Esta designação impõe sanções mais profundas e penalidades à Coreia do Norte, e apoiará nossa pressão máxima de isolar esse regime assassino”, completou.

O mandatário americano explicou que as novas sanções devem ser anunciadas ainda esta semana, provavelmente esta terça, e que elas chegarão ao nível mais extremo já visto até hoje.

Leia também: Eleições no Chile surpreendem e candidatos a presidente disputarão segundo turno

Indagado sobre sua viagem à Ásia , Trump havia dito que “anunciaria novidades em breve”, informação que foi reforçada pela Secretária de Imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, que afirmou que “novidades sobre a Coreia do Norte” viriam após a visita do presidente ao outro lado do mundo – o que, por fim, acabou se realizando hoje.

Atos de terrorismo

Durante a visita do presidente americano aos países asiáticos, ficou claro que a administração de Donald Trump enxerga o governo de Kim Jong-un como um ‘patrocinador do terrorismo ’. No discurso realizado na Coreia do Sul, ele descreveu o país vizinho na península como “uma nação fora de controle” comandada por um homem “que age de maneira maníaca e perturbada”.

 Leia também: Robert Mugabe faz discurso em TV, mas não renuncia à presidência do Zimbábue

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.