Presidente de 93 anos foi preso após ação do Exército na última quarta-feira

Dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas do Zimbábue neste sábado (18) em protesto contra o presidente Robert Mugabe . No centro da capital Harare, os cidadãos dançavam, cantavam, vibravam e seguravam cartazes pedindo para que ele deixe o cargo e até o país após 37 anos no governo.

Leia também: Presidente do Zimbábue faz primeira aparição pública após 'golpe de Estado'

População do Zimbábue celebra ação do Exército que afastou o presidente Robert Mugabe, de 93 anos, do poder
BBC/Reprodução
População do Zimbábue celebra ação do Exército que afastou o presidente Robert Mugabe, de 93 anos, do poder

Ao mesmo tempo, em entrevista à agência de notícias Reuters, o sobrinho de Mugabe, Patrick Zhuwao, afirma que o tio, de 93 anos, e a esposa Grace, de 52, estão “prontos para morrer pelo que é correto”. Ambos não teriam nenhuma intenção de deixar o poder ou Zimbábue .

Leia também: Militares do Zimbábue afastam Robert Mugabe da presidência após 37 anos no poder

A população, porém, celebra a possibilidade de dias melhores. “A nação toda comemora hoje. Estamos finalmente nos livrando deste velho homem”, afirmou um morador que preferiu não se identificar à CNN.

Mugabe não vê apenas a população e o Exército e voltarem contra ele, mas o seu próprio partido também. De acordo com o jornal estadual "The Herald", o partido Zanu-PF pediu a renúnica do presidente e também a saída da primeira-dama. O partido está divido em dois grupos: aqueles que apoiam Mugabe e aqueles que são a favor do ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa.

Tensão entre governo e Exército

Tido como herói da independência em 1980, Mugabe foi preso em sua residência na última quarta-feira (15) por forças militares. Além disso, três ministros também foram detidos, e o país amanheceu com tanques do exército pelas ruas. O Exército negou, entretanto, que ação se trata de um golpe militar.

A tensão entre Mugabe e o chefe de estado maior do Exército, o general Constantino Chiwenga, aumentou depois que o presidente destituiu, na semana passada, o seu vice, Emmerson Mnangagwa, veterano da guerra de independência.

Leia também: Submarino com 44 tripulantes desaparece na costa da Argentina

A partir deste episódio, Mugabe e Grace teriam se dedicado a reunir apoio político para que ela consiguesse ocupar a vice-presidência do país e, mais para frente, pudesse sucedê-lo. Analistas acreditam que ação do exército no Zimbábue se deu para impedir a chegada de Grace ao poder.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.