“Ele teve dificuldades em se lembrar o nome do meu marido”, revela a viúva. Donald Trump nega e reacende polêmica sobre a conversa

Donald Trump negou na internet ter dito as frases
Andrea Hanks/White House 02.08.2017
Donald Trump negou na internet ter dito as frases

A viúva do sargento norte-americano morto no Níger, disse que o presidente Donald Trump não sabia o nome do seu marido, durante um telefonema de condolências. Myeshia Johnson revelou detalhes da conversa entre os dois na manhã desta segunda-feira (23), à rede de televisão ABC. Trump foi acusado de ter feito comentários insensíveis à viúva, mas ela não havia confirmado isso até agora.

Leia também: Trump vai retirar sigilo de arquivos relacionados à morte de Kennedy

“Ele teve dificuldades em se lembrar o nome do meu marido. E isso foi o que mais me machucou”, ela reconta durante a entrevista. Ela também confirma outras falas polêmicas do presidente. “Ele [o presidente Donald Trump ] disse: ‘ele sabia no que estava entrando, mas machuca mesmo assim’. E me fez chorar porque eu estava brava com o tom de sua voz”.

Mais uma vez, Donald Trump usou as redes sociais para negar o ocorrido. Ele publicou: “Eu tive uma conversa muito respeitosa com a viúva do sargento LaDavid Johnson, e falei seu nome desde o início, sem hesitação”.

A polêmica começou na semana passada , quando a congressista democrata da Flórida, Frederica Wilson, amiga da família do sargento, disse ter presenciado o telefonema e revelou as falas de Trump.

O presidente e sua administração passaram então a criticar Wilson, alegando que ela já tinha chegado a “contar vantagem” pelo dinheiro de uma obra pública federal. Novamente pela internet, Trump afirmou: “A congressista é um presente que não acaba para o Partido Republicano. Uma vergonha para o Democrata”.

As alegações sobre a obra pública causaram irritação entre a bancada de representantes negros do Congresso, que pediram um pedido de desculpas oficial para Wilson.

As ligações de condolência para familiares de soldados norte-americanos já tinham se tornado motivo de confusão para Trump anteriormente.  No dia 16 de outubro, ele deu a entender que ex-presidentes dos Estados Unidos, incluindo Barack Obama,  não faziam o contato de solidariedade.

O ataque

A emboscada a uma unidade militar dos Estados Unidos no país africano aconteceu no último dia 4. Cerca de 50 homens armados atacaram doze soldados, matando quatro, incluindo Johnson, perto da fronteira do Níger e do Mali. O Pentágono acredita que o ataque foi feito pelo Estado Islâmico. O presidente Donald Trump demorou mais de uma semana para se pronunciar publicamente sobre o caso.

Veja também: Macri vence eleições legislativas e amplia seu poder na Argentina

*com informações da CNN e The New York Times

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.