Sob lema "orgulhosos de ser espanhóis", milhões tomaram ruas de Madri para celebrações do Dia da Festa Nacional; governo da Catalunha tem até segunda-feira para esclarecer se independência foi ou não declarada

Espanha celebra orgulho nacional em dia marcado por tensão catalã
Casa de S.M. el Rey - 12.10.17
Espanha celebra orgulho nacional em dia marcado por tensão catalã

Milhares de espanhóis tomaram as ruas da capital Madri nesta quinta-feira (12) para os desfiles militares e celebrações do Dia da Festa Nacional, uma data simbólica para o país em que é comemorada a cultura hispânica – expandida a partir da descoberta da América por Cristóvão Colombo em 1942.

O lema da festa neste ano foi “Orgulhosos de ser espanhóis” – mensagem que, aliada à crise desencadeada pela  tentativa de independência da Catalunha , fez com que as comemorações ganhassem um tom de manifestações pela manutenção da unidade do país. Milhares de pessoas carregaram bandeiras da Espanha durante os desfiles em Madri e cartazes de apoio ao governo central – que se opõe fortemente à independência catalã.

Tanto os reis da Espanha, Felipe VI e sua mulher Letizia, como os presidentes das regiões autônomas participaram dos desfiles. Apenas representantes de três comunidades não foram ao evento: o de Euskadi, de Navarra e, naturalmente, o da Catalunha.

O ato teve início por volta das 11h (horário local), com a chegada dos reis à Praça de Lima, onde foram recebidos com gritos de “viva a Espanha” por centenas de pessoas. O desfile, terrestre e aéreo, aconteceu no Paseo da Castellana e teve 84 veículos e 78 aeronaves, reunindo quase 4 mil militares e membros da Guarda Civil e da Polícia Nacional.

Catalunha tem até segunda-feira para esclarecer situação

Celebração pelo Dia da Festa Nacional na Espanha ganhou contornos de manifestação contra independência catalã
Reprodução/Twitter - @ignacioaguado
Celebração pelo Dia da Festa Nacional na Espanha ganhou contornos de manifestação contra independência catalã

requerimento enviado pelo governo espanhol ao chefe do Executivo da Catalunha dá prazo de cinco dias (até segunda-feira, 16) para que a Generalitat confirme se declarou a independência da região. O documento estabelece ainda que o presidente catalão tem até quinta-feira (19) para retificar a decisão e restaurar a ordem constitucional.

Para Jordi Turull, porta-voz da Generalitat (governo catalão), a iniciativa de Mariano Rajoy, presidente espanhol, deixa claro que não há abertura para o diálogo. Em seu discurso no Parlamento na última terça-feira (10), Carles Puigdemont, presidente catalão, afirmou que a suspensão dos efeitos da declaração de independência tinham como propósito abrir caminho para o diálogo, numa tentativa de diminuir as tensões e propiciar um possível acordo.

Leia também: Israel segue EUA e anuncia saída da Unesco

*Com informações e reportagem da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.