Fenômeno deixou pelo menos 12 mortos na Flórida; antes de chegar aos Estados Unidos, Irma passou pelo Caribe e deixou quase 40 mortos em países

Trump decretou 'estado de desastre' na Florida e ordenou ajuda federal para o estado, por causa do furacão Irma
Reprodução/Twitter
Trump decretou 'estado de desastre' na Florida e ordenou ajuda federal para o estado, por causa do furacão Irma

O furacão Irma, que atingiu a  Flórida , nos Estados Unidos, e que deixou um rastro de destruição por onde passou, foi rebaixado para a categoria 1 nesta segunda-feira (11), se tornando uma tempestade tropical. Nesta terça-feira (12), o número de mortos no estado norte-americano subiu para 12, segundo agências de notícia internacionais. 

Leia também: Na Flórida, homem tenta medir velocidade de furacão Irma; vídeo é impressionante

De acordo com a Agência Federal de Gestão de Emergências (Fema), dos Estados Unidos, o arquipélago Florida Keys, por onde o furacão Irma passou com categoria 4 no último domingo, teve 25% dos edifícios totalmente destruídos e 65% danificados. Além disso, 15 milhões de pessoas estão sem energia no estado da Flórida.

 A emissora ABC  detalhou, na segunda-feira, que as mortes já registradas e causadas pelo furacão: duas pessoas faleceram no condado de Monroe, outras duas em Hardee e outra em Orange. As informações sobre novas vítimas fatais ainda não tiveram detalhes divulgados.

O fenômeno nos EUA

Nesta segunda pela manhã, o Irma se aproximava da cidade de Tampa. Ainda de acordo com o NHC o fenômeno, mesmo perdendo a força, o furacão deve ter ventos fortes, de 136 km/h, e causar inundações.

Ao longo das próximas horas, o Irma se moverá perto da costa noroeste da península da Flórida, cruzará o Panhandle, a área mais continental da península, e chegará ao sul da Geórgia durante a tarde, segundo o NHC. Durante a noite de hoje e nesta terça, partirá rumo ao sudoeste da Geórgia e leste do Alabama.

Desastres no Caribe e nos EUA

Ao menos 3,3 milhões de pessoas estão sem energia elétrica na Flórida por causa do danos provocados pela passagem do furacão.

Neste fim de semana, quase um terço da população da Flórida precisou deixar suas casas e procurar refúgio contra o furacão, que foi o mais forte a atingir os EUA desde a década de 1930.

Leia também: Furacão Irma 'suga água' e seca praias nas Bahamas e na Flórida; veja vídeo

Antes de chegar aos EUA, o Irma passou pelo Caribe com categoria 5, a maior na escala de fenômenos naturais, e deixou pelo menos 38 mortos em 10 países, além de danos consideráveis.

Em Cuba, neste domingo, pelo menos cinco mil turistas estavam sendo deslocados para fugir das fortes tempestades. Em Miami, segunda cidade mais populosa do estado, a força dos ventos e as chuvas geradas pelo furacão já fizeram estragos na manhã deste domingo. Ruas ficaram inundadas e diversas árvores caídas.

Também por causa do furacão Irma , o presidente norte-americano, Donald Trump, decretou "estado de desastre" na Flórida e ordenou ajuda federal para o estado.

Leia também: Por causa do furacão Irma, mulher dá à luz com ajuda por telefone em Miami

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.