No total, 21 soldados das fileiras governamentais e seus aliados morreram, durante os combates, assim como outros 38 membros do Estado Islâmico

Com os combates, Estado Islâmico conseguiu reconquistar dois povoados da Síria
Christopher Bigelow/Fotos Públicas
Com os combates, Estado Islâmico conseguiu reconquistar dois povoados da Síria

Ao menos 60 pessoas morreram neste sábado (2) em bombardeios e combates entre as tropas governamentais sírias e o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na província central de Hama, informou a organização não governamental (ONG) Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Leia também: Autoridades evacuam região em Frankfurt para desarmar bomba da 2ª Guerra

No total, 21 soldados das fileiras governamentais e seus aliados morreram, assim como 38 membros do Estado Islâmico , segundo a ONG. Os combates se intensificaram após a explosão de três carros-bomba do EI em um contra-ataque ao Exército sírio, que fez uma ofensiva contra os jihadistas na região nos últimos dias.

Dois povoados foram reconquistados pelo grupo terrorista. Além disso, o grupo também retomou setor ocidental da localidade de Oqairabat, considerado um reduto na área e que foi tomado horas antes pelos soldados governamentais, com o apoio das forças russas e outros aliados sírios e estrangeiros.

Nos últimos dez dias de ofensiva na região morreram 40 civis, entre eles sete menores e sete mulheres, e 100 ficaram feridos pelos intensos bombardeios aéreos e o lançamento de mísseis, de acordo com a mesma fonte.

Leia também: Italiano esconde cadáver do próprio pai para garantir dinheiro de pensão

Ameaças ao Papa

Além dos combates na Síria, o EI também planeja ações terroristas em outros lugares do mundo. Na última semana, o grupo divulgou um vídeo em que ameaçava o papa Francisco. Na gravação, o EI afirma que "chegará a Roma".

A ameaça realizada contra o papa teria sido gravada na cidade muçulmana de Marawi, nas Filipinas, local que abriga uma célula bastante ativa do EI , chamado "Grupo Maute". A cidade vem sendo palco de combates violentos entre as forças de segurança do país e os jihadistas. O vídeo foi divulgado pelo "Al Hayat Media Center", um dos órgãos oficiais de propaganda do grupo extremista islâmico. Nele, os terroristas aparecem rasgando um pôster do papa e também destruindo imagens cristãs em uma igreja.

Leia também: Brasil está voltando para o “trilho do desenvolvimento”, afirma Temer a chineses

Um dos homens que aparece nas imagens diz, em inglês: "Lembrem-se disso, infiéis, nós vamos estar em Roma , se Deus quiser". Ele ainda se identifica como "Abu Jindal". Na sequência, o grupo coloca fogo no templo religioso. "Depois de todos os esforços, a religião dos cruzados é que será destruída", afirma a gravação do Estado Isâmico.

*Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.