Tamanho do texto

Equipes de resgate reúnem 3 mil agentes na procura por sobreviventes e na remoção de corpos presos em meio a escombros no sudeste do país; família escapou da tragédia após bebê de 36 dias de vida acordar os pais com choro

Deslizamento de terra provocado pelas fortes chuvas na região soterrou ao menos 62 casas no vilarejo de Xinmo, na China
Xinhua/Zheng Lei
Deslizamento de terra provocado pelas fortes chuvas na região soterrou ao menos 62 casas no vilarejo de Xinmo, na China

Cerca de 3 mil agentes integram as equipes de resgate que atuam na busca por eventuais sobreviventes e localização de corpos das vítimas em vilarejo do sudeste da China soterrado após deslizamento de terra ocorrido nesse sábado (24) . As autoridades chinesas informaram neste domingo (25) que há um total de 93 pessoas desaparecidas e dez corpos já foram encontrados no vilarejo de Xinmo, na província de Sichuan.

O deslizamento que levou cerca de 8 milhões de metros cúbicos de terra para cima do vilarejo se deu durante a madrugada de sexta para sábado e foi provocado pelas intensas chuvas que atingem grande região da China . Um total de 62 casas foram soterradas e trechos de um rio e de uma rodovia foram interditados pelos sedimentos.

Os trabalhos de resgate contam com cães farejadores e equipamentos eletrônicos capazes de detectar a presença de vida sob os escombros. O presidente chinês, Xi Jinping, ordenou ainda ontem que fossem aplicados "máximos esforços" no resgate e atendimento das famílias soterradas. Ele acrescentou ainda que os desaparecidos e aqueles que sofram perdas pelo desastre “devem receber o cuidado apropriado”.

Leia também: Explosão de caminhão tanque deixa vítimas fatais no Paquistão

Bebê acordou pais pouco antes do desastre

A agência estatal chinesa Xinhua relatou neste domingo que uma família escapou da tragédia em Sichuan devido ao choro de uma criança de 36 dias de vida, que foi capaz de acordar seus pais momentos antes de o vilarejo de Xinmo ser tomado pelas rochas e terra que rolaram de uma montanha. A família conseguiu deixar o local e está abrigada no hospital universitário de Chengdu.

"Logo após trocarmos a fralda do bebê, ouvimos um grande estrondo do lado de fora de casa e vimos as luzes se apagarem", contou Qiao Dashuai, o pai da criança.

"Percebemos que algo muito ruim estava acontecendo e imediatamente corremos para a porta, mas ela já estava bloqueada pelas rochas e lama", disse o homem. O casal acionou os serviços de emergência e a família foi resgatada cerca de 50 minutos após o início do deslizamento.

Qiao e sua mulher sofreram ferimentos leves, mas passam bem. Já o bebê acabou inalando um pouco de água lamacenta e está sendo tratado por suspeita de pneumonia. Os pais de Qiao e sua filha de três anos de idade estão na lista de desaparecidos das equipes de resgate da China.

Leia também: Avião monomotor cai sobre creche e deixa um morto na Flórida

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.