Coreia do Norte lança novo míssil e provoca apreensão na Rússia

Lançamento de projétil não identificado de Pyongyang colocou Moscou em alerta neste domingo; 'Duvido que Putin tenha ficado satisfeito', disse Trump
Foto: Arquivo/Israel Ministry of Defense
Lançado ao norte de Pyongyang (capital da Coreia do Norte), míssil viajou cerca de 700 quilômetros e caiu no mar

A Coreia do Norte lançou neste domingo (14) um míssil não identificado a partir do norte de Pyongyang, provocando apreensão e  reações da comunidade internacional. O projétil viajou cerca de 700 quilômetros em direção ao Japão e caiu no mar ao leste da península coreana, informou a agência estatal da Turquia, Anadolu .

O novo exercício militar da Coreia do Norte  foi verificado inicialmente pelos vizinhos do sul, onde foi convocada uma reunião de emergência entre as autoridades de defesa nacional. Essa é a primeira vez que o novo presidente da Coreia do Sul, o recém-eleito Moon Jae-in , encara atividades intimidatórias promovidas pelo governo do ditador norte-coreano Kim Jong-un.

A Coreia do Sul não foi a única a se incomodar com o lançamento de mais um míssil pelos norte-coreanos. Embora tenha sido lançado em direção ao Japão, o projétil – que até o momento imagina-se ser um míssil balístico – caiu ainda mais perto da Rússia do que dos japoneses (a 500 quilômetros do território russo).

Leia também: Europol pede esforço internacional para investigar ciberataque "sem precedentes"

Putin e Trump

O sistema russo de segurança contra mísseis divulgou nota logo após a queda do projétil no mar informando que registrou a atividade norte-coreana e acompanhou a trajetória do míssil durante 23 minutos até que a possibilidade de riscos ao território russo fosse descartada.

A situação militar envolvendo Kim jong-un e o presidente russo, Vladimir Putin, gerou reação imediata por parte do presidente americano, Donald Trump. A Casa Branca divulgou comunicado cobrando "fortes sanções internacionais contra Pyongyang.

"Com o míssil passando tão perto do território russo – de fato, mais perto da Rússia do que do Japão – o presidente Trump não pode imaginar que os russos estejam satisfeitos", diz a nota da Casa Branca.

A tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte têm crescido exponencialmente desde que Trump assumiu o governo americano. O clima hostil entre Washington e Pyongyang se dá devido aos testes militares e suposto arsenal nuclear dos norte-coreanos. A tensão cresceu também com o episódio da morte do irmão de Kim Jong-un. O ditador acusa os americanos de terem envolvimento com o assassinato.

Leia também: Preso, criador do jogo de suicídio Baleia Azul fala em 'limpeza da sociedade'

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2017-05-14/coreia-do-norte.html