Tamanho do texto

De acordo com pesquisas, Macron venceu com 65% dos votos; Le Pen, já reconhece a derrota, em discurso feito em Paris, logo após fim das apurações

Emmanuel Macron vence eleições presidenciais na França, marcada pelo alto índice de abstenção
Reprodução/Twitter
Emmanuel Macron vence eleições presidenciais na França, marcada pelo alto índice de abstenção

Emmanuel Macron será o novo presidente francês pelos próximos cinco anos.  O candidato centrista venceu, neste domingo (7), o segundo turno das eleições presidenciais da França. A vitória foi marcada com 30 pontos percentuais de vantagem sobre sua adversária, a líder da extrema direita Marine Le Pen. Essas são as primeiras projeções dos institutos de pesquisa do país após o fechamento das urnas, às 15 horas de hoje, em horário de Brasília.

Leia também: Comissão pede que imprensa não divulgue dados hackeados da campanha de Macron

As últimas pesquisas feitas sobre a intenção de voto dos franceses já apontavam que Macron venceria o segundo turno, mas não previam a vantagem significativa. Conforme as estimativas de votos válidos divulgadas pela imprensa francesa, a vitória obteve 65% dos votos contra 35% conquistados por Le Pen.

Ainda há uma oscilação diante dos percentuais de votos  que o centrista recebeu, e variam entre 65,1%, informado pelo Instituto Ipsos, e 65,9% projetados pelo Instituto Elabe, conforme divulgou a emissora BFMTV.

Essa foi uma das eleições presidenciais com índice de participação mais baixos da história do país, desde 1969, quando a nação francesa elegeu Georges Pompidou.  Dessa vez, aproximadamente 25% da população deixou de ir às urnas.  

Vitória

A agência francesa AFP divulgou que o novo mandante francês afirmou que uma nova página para o país será aberta. "Esta noite abre-se uma nova página da nossa longa história. Quero que seja a da esperança e a da confiança recuperadas", declarou.

A eleição do representante do movimento independente Em Frente! - criado há apenas um ano - foi comemorada por militantes que se concentraram ao frente o Museu do Louvre, em Paris, ao som da Marselhesa enquanto agitavam a bandeira vermelha, branca e azul. 

Leia também: Polícia francesa evacua pátio do Museu do Louvre, onde Macron faria discurso

Considerado uma opção para os que já estavam desacreditados das divisões políticas tradicionais, direita e esquerda, o presidente eleito tentou se promover como alguém que representa ideais que vão além dessa separação. 

Apesar da pouca idade - sendo o presidente mais jovem desde que Luís Napoleão, sobrinho de Napoleão, comandou a França em 1848 -, seus 39 anos deverão ser o bastante para enfrentar desafios como a luta contra os ataques terroristas, o desemprego endêmico de 10% no país e a crise da União Europeia. 

Le Pen

Após alguns minutos do encerramento do pleito, a candidata já discursou sobre sua derrota, agradecendo os franceses pelos votos e ainda dizendo que considera que seu partido, a Frente Nacional, se saiu muito bem, conquistando um resultado histórico nas votações. 

De acordo com a representante da extrema-direita, ela  já entrou em contato com o novo presidente eleito para dar os parabéns. Em seu discurso, Le Pen também falou sobre as eleições legislativas, em que prometeu participar, em junho. 

Leia também: França escolhe seu novo presidente neste domingo; Macron e Le Pen já votaram

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.