No domingo, um referendo – aprovado como 51% dos votos – alterou a Constituição do país, implantando o presidencialismo e dando mais poderes a Erdogan; oposição contesta resultado e quer o cancelamento do pleito

Acidente ocorre dois dias depois da Turquia realizar um referendo que deu mais poderes a Recep Tayyip Erdogan
Reprodução/Twitter
Acidente ocorre dois dias depois da Turquia realizar um referendo que deu mais poderes a Recep Tayyip Erdogan

Um helicóptero que levava 12 pessoas, membros das forças de segurança e juízes da Comissão Eleitoral da Turquia, caiu nesta terça-feira (18) na província de Tunceli.

Leia também: May convoca eleições gerais antecipadas para o início de junho no Reino Unido

De acordo com as autoridades da Turquia , o acidente foi causado pelas más condições climáticas. Equipes de socorro foram enviadas para o local e ainda não se tem informações sobre as vítimas nem se há sobreviventes.

O acidente ocorre dois dias depois do país realizar um referendo, aprovado com 51% dos votos, que alterou a Constituição do país, substituindo o parlamentarismo pelo presidencialismo, dando, assim, mais poderes ao mandatário Recep Tayyip Erdogan.

Cancelamento do referendo

O Partido Republicano do Povo (CHP), o segundo em formação nas cadeiras do Parlamento do país, planejava solicitar ainda nesta terça o cancelamento do referendo constitucional realizado no último domingo.

O vice-presidente do CHP, Bulent Tezcan, iria até a sede do Supremo Conselho Eleitoral para pedir o cancelamento do resultado do referendo, segundo ele por conta das inúmeras irregularidades observadas.

Leia também: Polícia dos EUA procura homem que matou idoso e transmitiu crime ao vivo

A intenção de cancelar o referendo foi informada pelo partido por meio de um comunicado, citado pelo jornal Hurriyet,  nesta terça. 

Vitória do 'sim' 

A participação popular no referendo teve alcance de 85% do censo eleitoral. Logo depois do final da contagem dos votos, o presidente teria telefonado para líderes de partidos, parabenizando a todos "pela vitória", segundo afirmou a agência de notícias estatal Anadolu . A oposição já contestou os resultados da votação, requerendo a recontagem dos votos. 

Centenas de apoiadores do regime do mandatário foram à frente ao prédio sede do partido de Erdogan, celebrando a vitória do "sim". 

Os eleitores foram convocados a votar pela reforma de um pacote de 18 artigos da Constituição da Turquia , proposta realizada pelo governo – e que muda o atual sistema de democracia parlamentar para um sistema presidencialista, mais semelhante a uma espécie de “presidência executiva” bastante poderosa. 

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.