Caminhão-tanque carregado de explosivos, conduzido por um terrorista suicida, bateu em posto de controle das forças de segurança em Al Daura

Caminhão-tanque carregado de explosivos, conduzido por um membro do Estado Islâmico, bateu em um posto de controle
Reprodução/Twitter
Caminhão-tanque carregado de explosivos, conduzido por um membro do Estado Islâmico, bateu em um posto de controle

Pelo menos 15 pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas em um ataque suicida no sul de Bagdá, capital do Iraque, horas antes da chegada ao país do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres. O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico

Leia também: Veja tudo sobre o Estado Islâmico no iG

De acordo com uma autoridade policial do Iraque, o atentado ocorreu na madrugada desta quinta-feira (30). Um caminhão-tanque carregado de explosivos, conduzido por um suicida do Estado Islâmico , bateu em um posto de controle das forças de segurança na região de Al Daura.

Vários feridos estão em estado grave e foram internados em hospitais da região metropolitana da capital iraquiana, segundo a fonte policial. A explosão danificou 11 caminhões e quatro automóveis que estavam nas imediações do posto de controle de segurança.

Horas depois do atentado, Guterres chegou a Bagdá, onde deve se reunir com as autoridades iraquianas, na segunda escala de sua viagem pela região. 

Estado Islâmico

O grupo terrorista Estado Islâmico aumentou suas intervenções no país. Em outubro do ano passado, as forças do governo lançaram uma campanha para recuperar a cidade de Mossul. Nos últimos meses, o grupo jihadista sofreu vários golpes militares e perdeu territórios tanto no Iraque como na vizinha Síria.

Leia também: Polícia de Londres nega ligações entre terrorista morto e o Estado Islâmico

Em fevereiro, pelo menos nove mil civis fugiram da região oeste de Mosul, enquanto as forças militares confrontavam o grupo jihadista.

De acordo com o ministro de Migração, Jassem Mohammad al Jaff, 8,7 mil homens, mulheres e crianças fugiram para o território controlado por partidários e foram alojados em campos de refugiados cuidados pelo Serviço de Contraterrorismo do Iraque .

Desde o iníco da ofensiva para retomar a cidade de Mosul, este é o maior número de civis que fugiu de áreas controladas pelo grupo terrorista em busca de assistência médica, alimento e água, disseram comandantes iraquianos.

Leia também: Vídeo mostra momento tenso em que May deixou o Parlamento após atentado; assista

A ofensiva para retomar Mosul do Estado Islâmico começou no último dia 17 de outubro, mas foram necessárias duas semanas para que o exército conseguisse entrar na cidade, que fica no norte do Iraque e é considerada a capital do "califado" de Abu Bakr al Baghdadi.

* Com informações da Agência Brasil.

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.