Uma autoridade do Instituto Sejong, na Coreia do Sul, afirmou que o assassinato foi “com toda a certeza um comando direto de Kim Jong-un

Kim Jong-nam (dir), irmão do líder coreano Kim Jong-un (esq), foi envenenado por duas mulheres em um aeroporto
Reprodução/Twitter
Kim Jong-nam (dir), irmão do líder coreano Kim Jong-un (esq), foi envenenado por duas mulheres em um aeroporto

As últimas palavras ditas por Kim Jong-nam, irmão do ditador norte-coreano Kim Jong-un, podem servir de prova que ele teria sido envenenado minutos antes de morrer no Aeroporto de Kuala Lumpur, Malásia, no último dia 13 de fevereiro.

LEIA MAIS: Cassinos e clubes adultos: a vida secreta do irmão assassinado de Kim Jong-un

Segundo o tabloide britânico “The Mirror”, o irmão do ditador da Coreia do Norte teria pedido ajuda em um balcão do aeroporto, afirmando que sentia muita dor. “Muita dor, muita dor. Alguém me jogou um líquido”, disse ele com os olhos fechados e feição de agonia. Ele teria sido atacado na manhã da segunda-feira enquanto aguardava para fazer o check-in e os detalhes do crime ainda estão sendo investigados.

Após ser supostamente atacado, ele se dirigia ao banheiro, mas acabou pedindo por ajuda no guichê. “Seus olhos estavam fechados e seu rosto indicava que estava em agonia”, contou um agente que testemunhou a cena. 

A polícia da Malásia tenta identificar movimentações suspeitas no aeroporto durante o período em que o meio-irmão de Kim Jong-un estava no local. Ao que tudo indica, ele estava perto das máquinas para fazer check-in quando foi atacado de forma bastante rápida. Uma mulher de saia curta e camiseta em que está escrito “LOL” (signo usado para representar uma risada alta) teria permanecido próxima a ele a fim de distraí-lo. Depois disso, um homem vestido com roupas femininas teria o atacado pelas costas.

Mistério e "pegadinha da TV"

Ainda não se sabe como os suspeitos teriam o envenenado de forma rápida e eficiente, já que até agora não foram encontradas feridas – como picadas – em seu corpo que revelassem por onde o veneno teria sido injetado, por exemplo. Uma das teorias é a de que ele teria sido sufocado com um tecido mergulhado no veneno, provavelmente ricina.

LEIA MAIS: Afastado da família, irmão de Kim Jong-un é envenenado na Malásia

Mas, um jornal chamado “New Straits” afirmou que tem a cópia das imagens da câmera do aeroporto e que o envenenamento teria sido realizado de outra forma: a mulher da camiseta LOL estaria de luvas e, assim, atirado o líquido tóxico diretamente no rosto de Jong-nam. Inclusive, segundo foi dito pelo jornal, é possível ver que ela retira a luva logo que chega do lado de fora do aeroporto, enquanto caminha para pegar um táxi.

Até agora, um taxista, uma mulher indonésia chamada Siti Aisyah, de 25 anos, seu namorado malaio, e a vietnamita Doan Thi Huong (da camiseta LOL) foram detidos para a investigação do crime. Doan afirmou que está no país depois de ser “abandonada durante um feriado em Kuala Lumpur com quatro homens e outra mulher”.

Mas, a resposta de Doan sobre o suposto crime é ainda mais intrigante. Segundo afirmou, ela acreditou estar participando de uma "espécie de pegadinha", que aquilo seria apenas "uma brincadeira inocente na TV". 

Amostras de sangue e de urina do irmão do ditador norte-coreano foram encaminhadas para autópsia para análise laboratorial, que deve sair dentro de uma semana. Foi reportado que a pressão arterial estava bastante alto quando morreu, a caminho do hospital.

LEIA MAIS: Coreia do Norte manda recado sobre questão nuclear para Trump

Uma autoridade do Instituto Sejong, na Coreia do Sul, afirmou que o assassinato foi “com toda a certeza um comando direto de Jong-un”. O ditador da Coreia do Norte marcou presença em um evento oficial de seu país, na capital Pyongyang, após a morte do meio-irmão. A vasta maioria dos 25 milhões de habitantes norte-coreanos não sabe sobre o assassinato de Kim Jong-nam, uma vez que a internet e o uso de celulares são privilégio de uma pequena elite.