A liquefação do sangue de São Januário, registrada desde 1389, não aconteceu no último dia 16, o que, tradicionalmente, significa desastres

O sangue de São Januário é armazenado em um frasco e só é retirado de cofre nos dias determinados para o milagre
Reprodução/Youtube/Rome Reports
O sangue de São Januário é armazenado em um frasco e só é retirado de cofre nos dias determinados para o milagre

Enquanto muitos comemoram o fim de 2016 e outros pedem pelo próximo ano, brincando com o fato de 2016 ter sido ruim, a previsão é que 2017 não é das mais positivas e, segundo uma tradição da Igreja Católica, tudo indica que ele seja ainda pior. Isso porque um milagre que acontece todo ano na Itália não aconteceu este ano: o sangue de São Januário, bispo de Nápoles que faleceu em 305, é mantido em um frasco e se liquidifica todo ano em três ocasiões desde 1389.

LEIA TAMBÉM:  Vidente previu acidente aéreo com time inteiro de futebol em março deste ano

O milagre  sempre acontece no sábado antes do primeiro domingo de maio, no dia 19 de setembro e no dia 16 de dezembro.  Em 2015, por exemplo, ela ocorreu todas as vezes. Já neste ano, apesar de ter acontecido em setembro, a liquefação falhou em sua terceira e última oportunidade. 

Em anos anteriores, foi registrado que a não liquidificação do sangue antecedeu 22 epidemias, 11 revoluções, três secas, quatro guerras, 19 terremotos, além de alguns períodos de escassez de comida. Entre os exemplos estão o surto de cólera em 1973, a Segunda Guerra Mundial, em 1939, e a ocupação da Itália pelos nazistas em 1943.

LEIA TAMBÉM:  Sexta-feira, 13 de agosto: entenda a fama da data

Papa 

Em visita do Papa, em março de 2015, o sangue ficou parcialmente líquido, apesar de estar fora das datas de liquefação. A última vez que isso ocorreu foi em 1848, com o Papa Pio IX. Na ocasião, Francisco brincou que "São Januário só o amava pela metade", uma vez que o sangue não se tornou completamente líquido. 

Baba Vanga

Alguns acreditam que a essa falha no milagre católico tenham ligação com as visões de Baba Vanga - uma vidente búlgara que previu o atentado de 11 de setembro, o tsunami de 2004 e o Estado Islâmico. Ela previu alguns desastres para 2017 que, dessa maneira, podem estar certos.

LEIA TAMBÉM:  Obama será o último presidente dos EUA, diz vidente que previu o 11/09 e o EI

Apesar de ter falecido há 20 anos, Baba Vanga previu que o 44º presidente dos Estados Unidos seria negro e que esse seria o "último presidente que o país teria". Se ela estiver certa, Trump não chegará a tomar posse em 20 de janeiro, como é esperado. Ou, ainda, que sua posse tenha algum significado para a história futura. 

Por causa de suas previsões corretas, Baba Vanga criou uma legião de seguidores e tinha 85% de sucesso em suas visões. Resta esperar para saber se, desta vez, elas se realizaram e quais serão as consequências para a falha do milagre de São Januário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.