Presidente norte-americano está na Grécia e deve passar pela Alemanha e pelo Peru antes de voltar à Casa Branca; em coletiva, respondeu sobre Trump

Barack Obama chega à Grécia para última viagem oficial como presidente dos EUA e dá coletiva
Reprodução/The White House
Barack Obama chega à Grécia para última viagem oficial como presidente dos EUA e dá coletiva

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou nesta terça-feira (15) a Atenas, capital da Grécia, na primeira etapa de sua última viagem internacional como chefe de Estado. O roteiro de Obama também inclui Alemanha e Peru em meio à incerteza sobre o futuro das relações entre os Estados Unidos e aliados da Europa e da Ásia/Pacífico após a eleição do republicano Donald Trump para sucedê-lo na Casa Branca.

LEIA TAMBÉM: Trump convida republicano conhecido como "anti-semita" para compor seu governo

Essa é a primeira visita de um presidente norte-americano à Grécia em 17 anos. Em entrevista coletiva, junto ao primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, Obama disse, segundo a Reuters, que a ascensão de Trump é resultado de uma combinação de fatores, entre eles a globalização e o desejo da população de "tentar algo novo".

O presidente norte-americano ainda afirmou que uma das lições que aprendeu durante a corrida eleitoral deste ano é a importância de discussões sobre a desigualdade e o "temor das pessoas de que seus filhos não sejam tão bons". "Quanto mais eficazes formos ao lidar com essas questões, menos esses medos podem se canalizar em abordagens contraproducentes, que podem colocar as pessoas contra as outras", disse.

O esquema de segurança para a visita prevê o fechamento do centro de Atenas com mais de 3 mil policiais gregos e 500 agentes de segurança norte-americanos, da chegada até a partida do chefe de Estado dos EUA.

Apesar do isolamento do centro da cidade ordenado pelo governo, organizações anarquistas, sindicatos, partidos e várias entidades civis anunciaram que se manifestarão contra a presença do líder norte-americano e que os protestos devem ocorrer na zona protegida.

Próximos destinos da viagem final

A segunda parada de Obama em sua última viagem internacional antes de passar o comando dos EUA a Trump, no dia 20 de janeiro, será Berlim.

VEJA AINDA: Após eleição de Trump, racismo ganha força e Michelle Obama é vítima de ataque

Nesta etapa, a consulta popular que referendou a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, deverá ser um dos principais assuntos da reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, na próxima quinta-feira (16).

Na sexta (17), o norte-americano celebrará em Berlim uma reunião de cúpula com seus aliados europeus mais próximos, com Merkel, o presidente da França, François Hollande; o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi; o presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy; e a primeira-ministra britânica, Theresa May.

No encontro, o democrata deve abordar, além dos resultados eleitorais dos Estados Unidos, a campanha militar contra o grupo jihadista Estado Islâmico na Síria e no Iraque, a crise dos refugiados e os próximos passos na Guerra da Síria, segundo informou a Casa Branca em comunicado.

A última etapa do roteiro do líder norte-americano será o Peru, onde o presidente participará da reunião de líderes do Foro de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), onde terá encontros bilaterais com os presidentes da China, Xi Jinping; do Peru, Pedro Pablo Kuczynski; e com o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull.

Há indícios de que Obama vá encontrar o presidente russo, Vladimir Putin, no Peru, mas essa informação não foi confirmada pela assessoria do presidente norte-americano.

* Com informações da Agência Télam