Para o chefe de gabinete, Fuad Hussein, se o líder do grupo extremista for morto, os jihadistas perderão força e será o fim do Estado Islâmico

Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico, estaria na cidade de Mosul. Sua morte pode ser o fim do grupo
Reprodução/Youtube
Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico, estaria na cidade de Mosul. Sua morte pode ser o fim do grupo

O líder do grupo extremista Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, estaria em Mosul, cidade que foi invadida pelas forças militares do Iraque na última segunda-feira (31) .  A informação foi dada por Fuad Hussein, chefe de gabinete do presidente curdo, Massoud Barzani, ao jornal britânico The Independent .

"Se Baghdadi estiver lá, e se for morto, será o fim do Estado Islâmico", disse. Nesta quarta-feira (2), as milícias iranianas xiitas, que participam da ofensiva contra o Estado Islâmico em Mosul, disseram ter avançado 115 km², o que totaliza 705 km² já conquistados desde o início da operação, em 17 de outubro.

LEIA TAMBÉM:  Tudo sobre o Estado Islâmico

Em um comunicado, as forças de mobilização xiitas (Hash Shaabi) disseram que tomaram o poder, inclusive, do oleoduto a sudoeste de Mosul.

Já as tropas iraquianas se encontram em zonas limites do subúrbio da cidade e contam com o apoio da coalizão internacional.

Preocupações humanitárias

Mas a aproximação de Mosul tem gerado novas preocupações humanitárias. "Desde segunda-feira, a quantidade de desabrigados aumentou significativamente", disse Jennifer Sparks, da Organização Internacional para Migrações (OIM).

"É impossível neste momento quantificar o impacto do avanço iraquiano sobre Mosul. Alguns campos de acolhimento estão lotados e há um problema ligado à segurança", também comentou o vice-ministro para Relações com a ONU do Curdistão, Dendar Zebari.

* Com informações da Agência Ansa.

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.