Tamanho do texto

Presidente chinês, Xi Jinping, busca constantemente fortalecer as Forças Armadas enquanto tenta demonstrar sólida postura militar do país asiático

BBC

Em exposição, China apresentou oficialmente ao mundo seu avião de combate até então secreto, o Chengdu J-20
Twitter/Reprodução
Em exposição, China apresentou oficialmente ao mundo seu avião de combate até então secreto, o Chengdu J-20


Foi um sobrevoo de apenas 60 segundos. Mas o ensurdecedor barulho do motor dos dois caças deixou boquiabertas todas as autoridades presentes - além de disparar os alarmes dos carros em um estacionamento próximo e arrancar aplausos do público que os via pela primeira vez.

LEIA MAIS:  Relações entre Rússia e EUA estão no pior momento desde a Guerra Fria

Foi dessa maneira que a China apresentou oficialmente ao mundo seu avião de combate até então secreto, o Chengdu J-20.

Esses jatos invisíveis a radares sobrevoaram a feira aérea de Zhuhai, na província de Guangdong - o maior evento de fabricantes e compradores de aviões da China.

Os J-20 só haviam sido apresentados antes a blogueiros. Correspondentes interpretaram a presença das aeronaves como um sinal do desejo de Pequim de modernizar e melhorar suas capacidades militares.

O presidente Xi Jinping busca fortalecer as Forças Armadas chinesas, enquanto também assume uma postura mais firme na região, especialmente nos mares da China meridional e oriental.

O J-20 foi desenvolvido e construído pelo grupo Chengdu Aircraft Industries, uma subsidiária da Corporação da Indústria de Aviação da China.

Poderio militar

Alguns compararam o novo avião com o caça Raptor F-22, da Lockheed Martin, usado pela Força Aérea dos Estados Unidos.

Bradley Perret, analista da indústria que escreve para a publicação "Aviation Week", disse que o caça é "um claro passo adiante na capacidade de combate da China".

Imagens não oficiais de um protótipo do J-20 registradas por observadores em 2010 provocaram discussões sobre o equilíbrio de poder na região.

LEIA MAIS:  Animais em cenas 'cômicas' são tema de concurso fotográfico; veja imagens

Ainda não se sabe se os meios de comunicação e os executivos estrangeiros serão autorizados a ver o J-20 de perto para decifrar suas capacidades e sua efetividade - alguns observadores questionaram sua invisibilidade a radares.

Entretanto, especialistas dizem que a China está aprimorando o desenho de suas aeronaves com a esperança de competir com Washington.

Imagens não oficiais de um protótipo do J-20 registradas por observadores em 2010 provocaram discussões  no mundo
Twitter/Reprodução
Imagens não oficiais de um protótipo do J-20 registradas por observadores em 2010 provocaram discussões no mundo


Grande antecipação

A Exposição Internacional Aeroespacial e de Aviação da China, conhecida também como Airshow China, se tornou o maior evento desse tipo no mundo.

Como o país deve se tornar o maior mercado de aviação do mundo na próxima década, superando os Estados Unidos, o show é uma oportunidade para que Pequim mostre suas ambições tanto na aviação civil quanto na militar.

Embora empresas de todo o mundo estejam expondo na feira, são as novas aeronaves e armas chinesas que receberam a maior atenção no primeiro dia do evento.

LEIA MAIS:  Voo mais curto do mundo homenageia sua passageira número 1 milhão

O avião de carga e transporte estratégico Y-20 foi apresentado em meio aos mais avançados sistemas de armas chineses - poucas nações dispõem de uma capacidade real de transporte estratégico, que permite enviar tropas rapidamente para travar combates longe de suas fronteiras.

Também espera-se uma amostra do avião anfíbio AG-600, o maior de seu tipo no mundo, que provavelmente será utilizado em missões de busca e patrulha nos mares territoriais da China.

E podem ser apresentados ainda o bombardeiro Xian H-6K e o novo helicóptero de ataque Z-10K.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.