Instituto Nacional de Geologia e Vulcanologia informou que o tremor atingiu 5,4 graus de magnitude; segundo abalo sísmico foi registrado horas depois

Segundo as informações do Instituto Nacional de Geologia e Vulcanologia (INGV), houve um terremoto de 5,4 graus
Reprodução/ Twitter/ @clapaudice
Segundo as informações do Instituto Nacional de Geologia e Vulcanologia (INGV), houve um terremoto de 5,4 graus

Pouco mais de dois meses de ser atingida por um forte tremor sísmico , a região central da Itália foi vítima de mais um terremoto nesta quarta-feira (26). O chefe da Defesa Civil do local, Fabrizio Curcio, afirmou que duas pessoas ficaram feridas na cidade de Visso. Segundo as informações do Instituto Nacional de Geologia e Vulcanologia (INGV), houve um tremor de 5,4 graus de magnitude com nove quilômetros de profundidade em Val Nerina, na região entre Macerata e Perugia.

Uma forte réplica do terremoto atingiu a região central da Itália horas após o primeiro abalo atingir a região. Segundo dados do INGV, o tremor foi de 5,9 graus na escala Richter entre as regiões de Perugia e Macerata.

A comuna mais próxima ao primeiro epicentro é Castelsantangelo sul Nera, que tem 368 habitantes. O abalo foi sentido tanto na região de Marcas como na província de Rieti – com a cidade de Pescara del Tronto sendo atingida – e em Assis, Perugia , Roma e Ascolano.

O epicentro do tremor ocorreu próximo à região que foi devastada por um sismo no dia 24 de agosto deste ano, que deixou 298 mortos  em Amatrice, Accumoli, Pescara e Arquata del Tronto, todas das províncias de Marcas e Rieti.

De acordo com Alessandro Amato, do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV), o terremoto desta quarta-feira está "ligado" ao tremor ocorrido no dia 24 de agosto, em Amatrice. "O terremoto está, de fato, em uma área muito ativa. Trata-se, provavelmente, da ativação de uma nova falha", contou.

Prejuízo

O prefeito de Amatrice, Sergio Pirozzi, informou que a cidade registrou novos danos e queda de partes de imóveis após o terremoto. "Há desabamentos, mas de edifícios já danificados. Estamos dando uma volta pelo território e não deve haver feridos. Mas é certo que o medo voltou por causa desse novo tremor", afirmou Pirozzi.

Já o prefeito de Castelsantangelo del Nera, Mauro Falcucci, informou que as operações para verificar os danos na cidade está sendo coordenada. A comuna é aquela que fica mais próxima ao epicentro registrado nesta quarta-feira. "Há desabamentos, não temos notícias de vítimas, mas estamos no escuro e sob um dilúvio de chuva. Esperamos que a Defesa Civil traga torres de iluminação", disse o líder da cidade. O local também havia sido afetado no terremoto do dia 24 de agosto.

* Com informações da Ansa


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.