Rodrigo Duterte tem sido criticado pela "tolerância zero" contra o tráfico de drogas; 3,5 mil pessoas foram mortas por serem consumidoras ou traficantes

Presidente das Filipinas ainda chamou os europeus de
Facebook/Reprodução
Presidente das Filipinas ainda chamou os europeus de "hipócritas", falando sobre as atrocidades cometidas no passado

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ofendeu a União Europeia durante um pronunciamento em Davao, no sul do país, nesta quarta-feira (21). Ao falar sobre as críticas do bloco europeu ao seu programa de combate ao tráfico de drogas , o mandatário mandou a UE "se foder".

"Li a condenação da União Europeia contra mim. Digo a eles ' fuck you '. Só fazem isso para perdoar seus pecados", disse para a plateia da cidade que governou por 20 anos. O presidente das Filipinas chamou ainda os europeus de "hipócritas", falando sobre as atrocidades cometidas no passado contra os povos colonizados.

A resposta de Duterte foi causada por um documento no qual o Parlamento Europeu condenava "a onda de execuções extrajudiciais nas Filipinas". Segundo dados da UE, nos últimos três meses, 3,5 mil pessoas foram mortas por serem consumidoras ou traficantes de drogas.

Desde que assumiu, em maio deste ano, Duterte implantou uma política de "tolerância zero" contra as drogas no país, permitindo a morte de pessoas suspeitas de ter algum tipo de relação com as substâncias proibidas – sejam usuárias ou chefes de tráfico. Ele prometeu matar 100 mil criminosos no país, mas muitos opositores acusam Duterte de autorizar a morte apenas de pessoas que contestam seu trabalho – sem relação com os entorpecentes.

Outros casos

No início de setembro, o presidente filipino havia chamado seu homólogo norte-americano Barack Obama de "filho da puta" , justamente pelo mesmo problema. Duterte havia sido informado que Obama queria falar com ele sobre as mortes relacionadas ao tráfico de drogas.

"É bom você não interferir, senão, filho da puta, vou te fazer pagar por isso", disse Duterte no último dia 5, ao ser questionado por um repórter sobre como explicaria a Obama o alto número de homicídios extrajudiciais.

Poucos dias depois, o filipino chamou o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, de "imbecil" por também criticar sua política contra as drogas. Quem também foi chamado de "filho da puta" por Duterte foi o papa Francisco, durante sua visita às Filipinas, por ter "complicado o trânsito".

Aos 71 anos de idade, Duterte também já ameaçou retirar as Filipinas da Organização das Nações Unidas (ONU)  e sugeriu propor à China e às nações africanas a criação de um novo bloco internacional.

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.