Tamanho do texto

Peça é de uma das asas do Boeing 777 que desapareceu em março de 2014 em um voo que ia da Malásia para a China com 239 pessoas a bordo

De acordo com o ministro dos Transportes da Malásia, Liow Tiong Lai, o destroço ainda será melhor examinado
Australian Transport Safety Bureau
De acordo com o ministro dos Transportes da Malásia, Liow Tiong Lai, o destroço ainda será melhor examinado

O governo da Malásia confirmou nesta quinta-feira (15) que o destroço de avião que foi encontrado em julho deste ano na ilha de Pemba, na costa da Tanzânia, pertence ao voo MH370 da companhia Malasyan Airlines .

A peça é de uma das asas do Boeing 777 que desapareceu em março de 2014 em um voo que ia de Kuala Lumpur, na Malásia, a Pequim, na China, com 239 pessoas a bordo.

LEIA MAIS:  Fracassadas, buscas por avião que caiu há 2 anos no Índico devem ser suspensas

De acordo com um comunicado do ministro dos Transportes da Malásia, Liow Tiong Lai, o destroço, que ainda será melhor examinado, pode revelar parte do mistério por detrás do desaparecimento da aeronave.

Há mais de dois anos do voo MH370 virar notícia pela primeira vez, vários possíveis pedaços do avião foram encontrados em Moçambique, Austrália, Madagascar, África do Sul e em ilhas próximas. No entanto, apenas um deles foi confirmado: o da ilha francesa de La Réunion em julho do ano passado .