Plano beneficiaria imigrantes ilegais, mas que vivem em solo americano desde 2010 e são pais de filhos nascidos nos EUA

Reuters

A decisão do tribunal foi tomada sete meses antes do término do mandato de Obama
REUTERS/Joshua Roberts
A decisão do tribunal foi tomada sete meses antes do término do mandato de Obama

A Suprema Corte dos EUA impôs uma dura derrota ao presidente Barack Obama nesta quinta-feira (23) ao bloquear um projeto do governo voltado a evitar a deportação de milhões de imigrantes ilegais, em uma votação que ficou empatada por 4 a 4 e que Obama chamou de frustrante para aqueles que buscam corrigir os problemas no sistema imigratório norte-americano.

A decisão do tribunal, tomada sete meses antes do término do mandato de Obama, representa o mais recente sucesso da oposição republicana em travar uma importante iniciativa política do presidente democrata. Ela também garante que a imigração continuará a ser um tema fundamental na campanha para a eleição presidencial de 9 de novembro.

A decisão com placar de 4 a 4 manteve em vigor uma decisão de 2015 de um tribunal inferior que bloqueou uma ordem executiva de Obama sobre a proposta, que nunca chegou a ser implementada.

"Nosso sistema de imigração está quebrado, e o fato de a Suprema Corte não ter sido capaz de emitir uma decisão hoje não apenas faz o sistema recuar ainda mais, mas nos deixa ainda mais longe de sermos o país que aspiramos ser", disse Obama na Casa Branca.

Obama apresentou seu plano para a imigração em novembro de 2014 e a medida foi rapidamente contestada em um tribunal pelo governo republicano do Texas, entre outros Estados, sob argumentação de que Obama excedeu os seus poderes presidenciais ao adotar uma ação executiva sobre o tema, ignorando o Congresso.

O plano beneficiaria imigrantes que não possuem a documentação nescessária, mas que vivem em solo americano desde 2010 e são pais de filhos nascidos nos EUA. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.