Omar Mateen administrava cinco contas na rede social; comitê de segurança quer que empresa libere acesso às informações

O Dia

Atirador Omar Mateen, de 29 anos, nasceu na cidade de Nova York e tinha pais de origem afegã
Reprodução/My Space
Atirador Omar Mateen, de 29 anos, nasceu na cidade de Nova York e tinha pais de origem afegã


Autoridades norte-americanas divulgaram que o atirador Omar Mateen fez diversos posts em sua conta no Facebook enquanto disparava contra os frequentadores da boate Pulse, em Orlando e os mantinha reféns. Mateen, de 29 anos, matou 49 pessoas e deixou 53 feridas na ação do último domingo (12), supostamente sob liderança do Estado Islâmico.

A carta foi elaborada pelo Comitê de Segurança Interna do Senado dos Estados Unidos e encaminhada para o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, como forma de pedido para que a empresa permita o acesso das informações das atividades do atirador na rede.

De acordo com autoridades, ele mantinha cinco contas na rede social. Em uma delas, dias antes, o atirador publicou: "Nos próximos dias vocês vão ver ataques do Estado Islâmico nos Estados Unidos."

O FBI se posicionou com cautela a respeito das declarações e disse que ainda procura entender o que motivou o ataque. “Nós precisamos de ajuda para entender o quadro mais completo da situação”, afirmou o agente Ron Hopper em entrevista coletiva.

Já havia sido noticiado que o atirador declarou lealdade ao grupo terrorista, mas a administração Obama diz não acreditar que o ataque tenha sido coordenado pelo grupo.

Momentos antes de ser morto por agentes da Swat, Mateen também fez buscas pelos termos "Pulse Orlando" e "shooting" (tiroteio, em tradução livre). Ele também entrou em contato com um amigo e um produtor de TV.

Veja fotos do resgate às vítimias do ataque à boate Pulse, em Orlando:


    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.