Na última terça, Wells estava com outros dois missionários no aeroporto de Zaventem quando ocorreram as explosões

Missionário sofreu várias lesões na explosão, mas não corre risco de morte segundo os familiares
Reprodução/Facebook
Missionário sofreu várias lesões na explosão, mas não corre risco de morte segundo os familiares

Um jovem missionário americano chamou a atenção da mídia internacional ao sobreviver ao atentado terrorista ocorrido em Bruxelas, na última terça-feira (22). Não apenas pelo fato de estar vivo, mas por ser a terceira vez em sua vida que passa pelo trauma de um ataque terrorista.

Mason Wells, 19 anos, estava em Boston (EUA) em 2013 e acompanhava sua mãe na maratona local quando uma bomba explodiu. Em novembro do ano passado, Wells estava em uma missão em Paris no dia 13 de novembro, quando o Estado Islâmico cometeu uma série de atentados na cidade e matou 130 pessoas. Nos dois ataques, o jovem não ficou ferido.

Na última terça, Wells estava com outros dois missionários mórmons na área de embarque do aeroporto de Zaventem quando dois kamikazes ativaram os explosivos e mataram, ao menos, 11 pessoas no local. O missionário, dessa vez, sofreu várias lesões na explosão, mas não corre risco de morte segundo os familiares.

Seu pai, Chad Wells, contou ao jornal "The Independent" que o filho sofreu diversos cortes pelo corpo, teve queimaduras de segundo e terceiro grau na face e nas mãos e rompeu um tendão. Mas que, após uma cirurgia, ele estava "exausto, mas bem".

A Igreja dos Santos dos Últimos Dias instruiu, após o incidente, que os seus missionários permaneçam em casa durante esses dias pós-atentados.

Veja imagens do atentado terrorista na Bélgica


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.