Maduro desafia opositores e diz que permanecerá no poder

Por Ansa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Opositores anunciaram que irão convocar um referendo para tentar tirar o presidente da Venezuela e pedem para que seus simpatizantes saiam às ruas, aumentando pressões por saída

Para Maduro, vitória da oposição era tentativa
Marcos Oliveira/ Agência Senado
Para Maduro, vitória da oposição era tentativa "imperialista" dos EUA de tirar o chavismo do poder

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, advertiu aos opositores nesta quarta-feira (9) que não irá renunciar ao cargo e que está disposto a continuar lutando para "vencer" a direita e o "império arrogante".

"Deixem a oposição com as suas loucuras e obsessões, que com uma mão os paramos e os denunciamos", disse em encontro no Palácio de Miraflores. Opositores venezuelanos anunciaram na terça-feira (8) que irão convocar um referendo para tentar tirar Maduro do poder e pediram que seus simpatizantes saiam às ruas, aumentando as pressões por sua saída.

"A Mesa da Unidade Democrática (MUD) tomou a decisão unânime de convocar o povo da Venezuela a formar o maior movimento de pressão popular que já existiu para ativar todos os mecanismos de mudança", disse o secretário executivo da coalizão opositora, Jesús Torrealba, em coletiva de imprensa. O secretário ainda disse que o Parlamento quer impulsionar uma emenda constitucional para reduzir o mandato presidencial e convocar eleições ainda neste ano.

Em dezembro, a oposição venezuelana conquistou "supermaioria" – dois terços dos assentos – na Assembleia Nacional, vitória histórica que representa revés para a hegemonia chavista após cerca de 17 anos no poder. Em diversas ocasiões, Maduro denunciou que a vitória era uma tentativa "imperialista" dos Estados Unidos de tirar o chavismo do governo.

Leia tudo sobre: mundovenezuelanicolás maduro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas