Polícia turca invade jornal e dispara gás lacrimogêneo contra manifestantes

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Protestos começaram após um tribunal de Istambul determinar que a administração do jornal sofra intervenção do governo

Agência Brasil

Polícia invadiu prédio de jornal em Istambul e conteve protesto de forma violenta
Reprodução/Twitter
Polícia invadiu prédio de jornal em Istambul e conteve protesto de forma violenta

A polícia turca invadiu a redação do jornal Zaman, em Istambul, na noite desta sexta-feira (4), disparando gás lacrimogêneo contra manifestantes reunidos na porta do prédio. Os protestos começaram após um tribunal de Istambul determinar que a administração do jornal sofra intervenção do governo, sem justificar a decisão.

Zaman é ligado ao movimento Hizmet, do clérigo Fethullah Gulen, que mora nos Estados Unidos, e tem posição de oposição ao governo atual na Turquia. 

O movimento é classificado como organização terrorista pelo governo da Turquia, que argumenta que o objetivo do grupo é derrubar o presidente Recep Tayyip Erdogan. Ex-aliado do presidente, Gulen defende a saída de Erdogan do poder.

O ataque aos manifestantes acontece no momento em que o governo turco recebe críticas internacionais por causa de sua tentativa de abafar a liberdade de imprensa no país.

O protesto ocorria de forma pacífica até que os manifestantes foram atingidos pelos canhões d’água e pelo gás lacrimogêneo disparados pela polícia turca.

Em resposta à intervenção no veículo de comunicação, o jornal Zaman escreveu que a Turquia atravessa seus “dias mais escuros em termos de liberdade de imprensa.” O editor-chefe declarou que a medida do governo turco significava “o fim na prática da liberdade de imprensa na Turquia.”


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas