Alemão é condenado a prisão por ter se juntado ao Estado Islâmico

Por Agência Lusa |

compartilhe

Tamanho do texto

De acordo com os serviços de informações alemães, 740 pessoas deixaram a Alemanha para se juntarem a grupos extremistas como o EI na Síria ou no Iraque

Um alemão foi condenado a quatro anos e meio de prisão por ter se juntado a uma unidade do grupo extremista Estado Islâmico (EI) entre 2013 e 2014, informou a agência France Presse (AFP).

Em janeiro, Nils Donath, de 25 anos, contou ao tribunal de Dusseldorf que se converteu ao Islã no verão de 2012, depois de uma vida de vários delitos menores. À Justiça, ele reconheceu ter "deslizado diretamente para a radicalização".

De acordo com a acusação, em 2013, o acusado juntou-se a uma organização extremista chamada Brigada Lohberger e, em outubro do mesmo ano, partiu para a Síria onde se juntou ao EI.

Na Síria, integrou "tropas de assalto" da organização extremista, encarregadas de encontrar desertores.

Nils contou que o EI ameaçava os combatentes que desertavam com "torturas até à morte" e que acabou por se afastar do EI e regressar à Alemanha, onde foi detido no ano passado.

De acordo com os serviços de informações alemães, 740 pessoas deixaram a Alemanha para se juntarem a grupos extremistas como o EI na Síria ou no Iraque. Um terço regressou e cerca de 120 foram mortos.

Leia tudo sobre: estado islâmicoeialemanhasíriairaqueextremistas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas