Saída do Reino Unido da UE levará a uma década de incerteza, diz relatório

Por Estadão Conteúdo |

compartilhe

Tamanho do texto

Documento que busca uma visão imparcial sobre o futuro britânico fora do bloco tem mesmo posicionamento de premiê

Estadão Conteúdo

O premiê David Cameron, que faz campanha para manter seu país dentro da União Europeia
Divulgação - 26.02.2016
O premiê David Cameron, que faz campanha para manter seu país dentro da União Europeia

Um novo relatório elaborado por funcionários públicos do Reino Unido concluiu que a saída do país da União Europeia resultaria em uma década de incerteza devido ao complexo processo de decidir os termos dessa retirada.

Divulgado nesta segunda-feira (29), o documento afirma que milhões seriam afetados durante a saída, inicialmente com o processo de negociá-la, depois com futuros arranjos com o bloco e, por fim, devido à negociação de acordos comerciais com nações de fora do bloco. "Em resumo, um voto para deixar UE seria o início, não o fim de um processo", afirma o relatório.

O documento é importante porque reflete a avaliação do respeitado e apolítico funcionalismo britânico. A visão busca ser imparcial, ainda que as conclusões espelhem em geral as preocupações do primeiro-ministro David Cameron de que uma saída levaria o país a território desconhecido.

A saída da UE representaria um passo sem precedentes. Boa parte do debate presente no relatório foi centrado no que realmente acontecerá caso o Reino Unido vote para deixar a UE em 23 de junho.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas