Atirador abre fogo em fábrica e deixa ao menos três mortos nos EUA

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Violência perpetrada na cidade de Hesston, em Kansas, ocorre menos de uma semana após chacina deixar seis mortos no país

Cedric Larry Ford, de 38 anos: investigação ainda não sabe o que o motivou ao massacre
Divulgação
Cedric Larry Ford, de 38 anos: investigação ainda não sabe o que o motivou ao massacre

Menos de uma semana após um atirador promover uma chacina que deixou seis mortos no Estado de Michigan, um novo caso de violência chocou os EUA, na noite desta quinta-feira (25). Um homem invadiu uma fábrica na cidade de Hesston, no Kansas, e atirou aleatoriamente contra os funcionários, deixando ao menos três mortos e 16 feridos. 

De acordo com o jornal New York Times, antes de chegar à pequena cidade de menos de quatro mil habitantes, o assassino atravessou dois municípios com seu carro e, pela janela mesmo, atirou contra qualquer um que cruzasse seu caminho. Ao menos três pessoas foram baleadas no trajeto. O atirador, identificado como Cedric Ford, de 38 anos, foi morto por policiais nas proximidades da fábrica de aparelhos cortadores de grama da empresa Excel Industries, onde ele trabalhava.  

"Ford atirou nas pessoas aleatoriamente. Acredito que não tenha falado nada antes de fazê-lo", explicou o xerife do Condado de Harvey, T. Walton. "Havia provavelmente mais de 300 pessoas no prédio enquanto ele caminhava pela fábrica. E o único motivo pelo qual ele parou de atirar foi quando um policial o baleou."

O assassino já havia sido preso duas vezes no Estado da Flórida – uma por roubo de carro, em 2000, e outra por violar a condicional, quatro anos depois. Mas seus colegas de trabalho o descrevem como uma pessoa agradável, "uma pessoa com quem se podia falar sobre qualquer coisa", diz Matt Jarrel. 

De acordo com a rede de notícias CNN, Ford recebeu uma ordem de restrição por abuso – uma prevenção para impedir que ele se aproximasse de alguém – 90 minutos antes de cometer a chacina. A polícia trabalha com a hipótese de que a medida possa tê-lo incentivado à violência. A investigação, no entanto, ainda não está certa disso.

O site Gun Violence Archive, que compila dados sobre a violência praticada com armas de fogo em território norte-americano, mostra que ao menos 34 tiroteios do gênero ocorreram nos EUA somente em 2016. No total, mais de 50 pessoas morreram desde janeiro nesses casos.

Reprodução de canal de televisão mostra movimentação em estrada próxima a Hesston
Reprodução/Twitter
Reprodução de canal de televisão mostra movimentação em estrada próxima a Hesston


Leia tudo sobre: mundotiroteioeuamortosferidos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas