Meninas foram executadas após terem sido encontradas por integrantes do grupo junto a dois homens mais velhos

Meninas, de 16 e 17 anos, foram executadas na cidade de Deir ez-Zor, no leste da Síria
Reprodução/Twitter
Meninas, de 16 e 17 anos, foram executadas na cidade de Deir ez-Zor, no leste da Síria

Duas jovens de 16 e 17 anos foram executadas por apedrejamento após serem encontradas em uma casa com dois homens mais velhos na cidade de Deir ez-Zor, no leste da Síria. De acordo com o tabloide britânico Daily Mail, a violência foi de autoria de integrantes do Estado Islâmico, que domina ampla aérea dentro do território do país. 

Casos como esse são comumente julgados pelo Tribunal da Sharia, regido pela lei islâmica. Uma multidão compareceu ao apedrejamento e ajudou no banho de sangue.

Os homens também foram julgados pela sharia, mas, como punição, receberam 50 chicotadas – e não apedrejamentos até a morte, como foi o caso das adolescentes.

A decisão do tribunal revoltou a população da cidade, que considerou injusta a punição em comparação com a extrema violência perpetrada contra as jovens. 

Veja mais crimes bárbaros do Estado Islâmico:


    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.