Trump defende tortura a suspeitos de terrorismo: "Inimigo está cortando cabeças"

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dono de declarações polêmicas, bilionário escreve carta aberta na qual justifica defesa de práticas extremas contra presos

Trump lidera as pesquisas do Partido Republicano para ser candidato à presidência em 2016
Divulgação
Trump lidera as pesquisas do Partido Republicano para ser candidato à presidência em 2016

Pré-candidato republicano à presidência dos EUA e até o momento o mais bem colocado nas pesquisas do partido para disputar o pleito em 2016, Donald Trump voltou a afirmar que apoia a tortura como forma de interrogatório de presos e que está disposto a fazer “o que for necessário para defender o país”.

Em carta aberta, divulgada nesta terça-feira (16), o bilionário disse que, “apesar de a efetividade desses métodos ser dúvida, nada deve ser tirado da mesa quando vidas de cidadãos norte-americanos estão em disputa”.

Usando como exemplo as barbaridades perpetradas pelo Estado Islâmico, Trump ressaltou que “o inimigo está cortando a cabeça de cristãos e os afogando em jaulas, e, ainda assim, somos muito politicamente corretos para responder à altura”. A tortura é proibida por lei nos EUA.

Líder nas pesquisas dentro do Partido Republicano, o bilionário escreveu que os cidadãos dos EUA esperam que um presidente tome “esse tipo de decisão” e que ele não os decepcionaria: “Farei o que for preciso para defender a nação e seu povo”.

Depois de uma derrota no cáucus de Iowa para o senador ultraconservador Ted Cruz, Trump venceu as primárias do estado de New Hampshire, dando novo gás à corrida para ser o representante do Partido Republicano nas eleições de 2016.

Leia tudo sobre: donald trumpestados unidoseuatorturaeleições nos eua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas