Neozelandês se mudou e nunca mais entrou em contato com a família. Ele foi preso acusado de roubar mina no Quênia

O Dia

Um neozelandês desaparecido há 30 anos e dado como morto deu um susto na família ao ligar para casa pedindo ajuda. Francis Edward Strange, de 56 anos, contou para a mãe, Liz Simpson, que foi preso no Quênia acusado de roubar uma mina de ouro, de acordo com o "New Zealand Herald". Durante a conversa, há duas semanas, ele revelou que durante o tempo na cadeia, um assassino condenado tentou matá-lo por duas vezes, com golpes na garganta e na cabeça.

"Nós pensávamos que ele estivesse morto", contou seu irmão, Gerard. "Esperamos por notícias dele por 30 anos. No início pensamos que a história fosse uma fraude", afirmou.

Neo-zelandês ligou para a família após 30 anos sem notícias depois de ser preso no Quênia
Reprodução internet
Neo-zelandês ligou para a família após 30 anos sem notícias depois de ser preso no Quênia

Strange foi para Austrália e não entrou mais em contato com a família. Em 1992, ele foi para o Japão, onde lecionava inglês, e em 2014 chegou ao Quênia. "Eu amo minha família. Mas eles são um pouco conservadores. Eu queria fazer algo em que poderia fazer a diferença", disse Strange ao "Star".

Strange revelou que foi preso no início de 2015 e passou seis meses na capital queniana, Nairóbi. Ele é acusado de roubar $ 579 mil em equipamento e ouro de uma mineradora. Após cinco meses, com a ajuda do governo de seu país e outros, ele conseguiu reduzir a fiança milionária para $1500, mas teve seu passaporte confiscado. Caso condenado, Strange pode passar sete anos na prisão.

"A polícia e a Justiça do Quênia são manipuladas por pessoas ricas", falou Strange. "Todo mundo sabe que o Quênia precisa de investimento. Quênia precisa de trabalhos. Muitas pessoas aqui querem que isso acontece. Mas é um universo de cão come cão por aqui", completou. O julgamento do neozelandês está marcado para esta semana.

Fonte/O Dia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.