Governo Mujica foi o que mais apreendeu drogas no Uruguai

Por Ansa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dados analisados se referem ao período de 1990 a 2015. O governo de José Mujica confiscou uma quantidade 52% maior de maconha que seu antecessor e atual presidente, Vázquez

O governo de José Mujica (2010-2015) foi o que mais apreendeu drogas e o que mais levou a julgamento crimes por posse de narcóticos no Uruguai desde 1990. Segundo dados da Direção Geral de Repressão do Tráfico de Drogas, o governo de Mujica confiscou uma quantidade 52% maior de maconha que seu antecessor e novamente presidente, Tabaré Vázquez. Ainda durante o período em que Mujica esteve no poder, mais de 3,5 mil pessoas responderam na Justiça por posse de drogas. Entre 2005 e 2010, foram 2.733.

Durante o governo Mujica o Uruguai aprovou uma lei que legalizou a maconha em todo o país
Reprodução/BBC
Durante o governo Mujica o Uruguai aprovou uma lei que legalizou a maconha em todo o país


O jornal local "El Observador", no entanto, destacou que isso não quer dizer necessariamente que houve um avanço na luta contra o narcotráfico. "Também existe maior quantidade de drogas nas ruas", ressaltou a publicação, comparando períodos diferentes na história do país. O jornal também disse que a segurança pública do país se deteriorou muito nos últimos anos e que vem sendo registrados acertos de contas entre traficantes no país, algo que não era comum no passado.

Durante o governo de Mujica, o Uruguai aprovou uma lei que legalizou a maconha em todo o seu território e regulamentou sua produção e comercialização. Atualmente, a maconha pode ser plantada em residências e clubes de fumantes, mas falta ainda iniciar a venda nas farmácias. A maconha será vendida com um limite máximo de 40 gramas por mês para consumidores cadastrados pelo governo e deve custar cerca de US$ 1 por grama, um preço competitivo com o mercado ilegal.

Leia tudo sobre: MundoUruguaiMujica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas