EUA bombardeiam reserva de dinheiro do Estado Islâmico no Iraque

Por Agência Lusa |

compartilhe

Tamanho do texto

Militar americano disse que "milhões de dólares" foram destruídos; ao menos cinco civis morreram na operação

Ataque da coalizão liderada pelos EUA foi realizado em Mossul, no Iraque
Reprodução/Google Maps
Ataque da coalizão liderada pelos EUA foi realizado em Mossul, no Iraque

A coligação internacional liderada pelos Estados Unidos bombardeou nesta segunda-feira (11) uma reserva de dinheiro do grupo extremista Estado Islâmico em Mossul, no norte do Iraque, contendo o equivalente a "milhões de dólares", revelou um militar norte-americano.

As reservas atingidas pelo ataque eram "provavelmente dinares" iraquianos e provinham de "atividades ilegais" do Estado Islâmico, como o contrabando de petróleo, a "pilhagem" e a "extorsão", indicou a mesma fonte, acrescentando que a organização extremista "é obrigada a fazer todas as transações em dinheiro".

Não foi a primeira vez que a coligação bombardeou esse tipo de reservas financeiras, mas esta foi a maior a ser visada, tendo sido utilizadas no ataque duas bombas de 900 quilos.

A rede CNN, primeira a noticiar o ataque, revelou que o bombardeio causou a morte a cinco ou sete civis, de acordo com estimativas da coligação.

A coligação tem intensificado os ataques ao Estado Islâmico com o objetivo de eliminar seus líderes e de extinguir as fontes de financiamento do grupo, principalmente destruindo caminhões-cisterna com petróleo.

O grupo Estado Islâmico reivindicou nesta segunda o ataque a um centro comercial em Bagdá, que matou 12 pessoas. Outras 20 pessaos morreram nesta segunda-feira em Mouqdadiyah, a Nordeste da capital iraquiana, num ataque à bomba contra um café. Este atentado ainda não foi reivindicado.

Leia tudo sobre: coligaçãoEstado islâmicoreservasbombardeioInternacional

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas