Pré-candidato americano defende medidas consideradas xenófobas contra imigração, minimiza evidência sobre mudanças climáticas e diz ser mais diplomático que Obama

BBC

O pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, causou controvérsia na noite de segunda-feira (7) ao defender a proibição da entrada de muçulmanos no país. A promessa de campanha, porém, nem de longe é a primeira controvérsia criada pelo bilionário americano e tampouco parece estar causando problemas junto ao eleitorado conservador - Trump lidera as pesquisas de intenção de voto na corrida pela vaga republicana às eleições de 2016.

Donald Trump lidera intenções de voto entre candidatos republicanos
Reprodução/Twitter
Donald Trump lidera intenções de voto entre candidatos republicanos


Veja abaixo outros pontos no mínimo polêmicos que têm marcado o discurso de Trump.

1. Mesquitas vigiadas, suspeitos torturados
Trump defende que mesquitas em solo americano sejam postas sob vigilância dos serviços de inteligência como parte de esforços para combater a radicalização de muçulmanos.

O bilionário também defende que suspeitos de terrorismo sejam torturados para confessar seus supostos planos. E argumenta que o que classifica como "métodos rigorosos" de interrogação são mais brandos, por exemplo, que as execuções levadas a cabo por militantes do grupo extremista autodenominado "Estado Islâmico".

2. "El Muro" para separar EUA e México

O pré-candidato do Partido Republicano promete construir um muralha na fronteira dos EUA com o México para conter a imigração ilegal no país. Para o bilionário, a construção serviria também para combater o crime organizado no país.

Se já é questionável sob vários aspectos, a muralha de Trump causou ainda mais furor por conta do argumento de que a conta da obra, girando em torno de US$ 2 bilhões a US$ 13 bilhões (de acordo com cálculos da BBC), teria que ser paga pelo governo mexicano.

3. Deportação em massa
Além de culpar imigrantes ilegais pela criminalidade nos EUA, Trump propõe deportar 11 milhões deles - uma iniciativa criticada por ser considerada xenofóbica e de custos proibitivos, estimados em mais de US$ 100 bilhões. Além disso, o bilionário quer revogar a lei que dá cidadania americana automática a filhos de imigrantes ilegais nascidos em solo americano.

4. Papo com Putin
O bilionário, em uma recente entrevista à rede CNN, afirmou que melhoraria as relações dos EUA com a Rússia porque conseguiria ter um relacionamento mais cordial com o mandatário russo, Vladimir Putin. Ele argumentou que Putin e o atual presidente americano, Barack Obama, "detestam-se demais para negociar".

Trump afirma que teria melhor resultado que o president Obama no trato com o governo russo
Reprodução
Trump afirma que teria melhor resultado que o president Obama no trato com o governo russo


5. Condições impostas à China
Trump promete impor precondições à China para que continue fazendo negócios com os EUA. Se eleito, o bilionário diz que fará Pequim abandonar a política de desvalorização do yuan e que forçará o país a adotar melhores condições de trabalho e melhores políticas ambientais.

6. Mudanças climáticas são "mito"
Ao mesmo tempo em que defende "água e ar limpos" como pontos importantes, o pré-candidato considera "fraudes" as pesquisas sobre mudanças climáticas. E é contrário a restrições ambientais a atividades econômicas, sob o argumento de que isso torna as empresas americanas menos competitivas no cenário global.

7. Fortuna "inflada"
Em seus comunicados de imprensa, Trump volta e meia faz referência a uma fortuna de US$ 10 bilhões de dólares. No entanto, a agência de notícias Bloomberg e a revista de economia Forbes estimam que o patrimônio de Trump varie entre US$ 2,9 bilhões e US$ 4 bilhões. Ainda assim, o pré-candidato está financiando a campanha com recursos próprios.

8. Menos impostos
Trump quer reduzir impostos e isentar de tributação americanos que ganhem menos de US$ 25 mil por ano.

Ele também defende que a alíquota de imposto para grandes empresas seja de 15% e oferece a multinacionais a chance de repatriar seu dinheiro para os EUA a uma taxa de apenas 10%. No entanto, analistas financeiros alegam que alguns pontos de sua política fiscal farão com que ricos paguem menos impostos.

9. Saúde mental conta armas de fogo
O bilionário é contra mudanças na legislação sobre porte de armas de fogo, incluindo um aumento na checagem de antecedentes para quem quiser comprar uma. Trump revelou ter porte de arma e diz que vê programas de investimento em tratamento de doenças mentais como solução para os massacres que frequentemente ocorrem nos Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.