Catalunha aprova moção separatista e abre crise com Espanha

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

Medida aprovada nesta segunda-feira (9) pelo Parlamento declara início do processo de independência do estado catalão

O Parlamento da Catalunha aprovou nesta segunda-feira (9) uma moção na qual declara o início do processo rumo à constituição de um "Estado independente sob a forma de república", abrindo uma grave crise com o governo espanhol.

 Chancelada com 72 votos a favor e 63 contra, a medida prevê a construção, dentro de um prazo de 30 dias, de um arsenal jurídico que permita a declaração de soberania da região autônoma. Além disso, o documento afirma que o percurso independentista deve ser levado à diante sem considerar as instituições de Madri.

No ano passado, o presidente da Catalunha, Artur Mas, que deve ser reconduzido ao cargo, convocou uma votação simbólica, na qual mais de 80% dos eleitores votaram pela independência
Junts pel Sí
No ano passado, o presidente da Catalunha, Artur Mas, que deve ser reconduzido ao cargo, convocou uma votação simbólica, na qual mais de 80% dos eleitores votaram pela independência

 O resultado da votação foi aplaudido por deputados secessionistas, enquanto aliados do primeiro-ministro Mariano Rajoy protestavam com bandeiras da Espanha. Já o premier prometeu entrar na próxima quarta-feira (11) com um recurso contra a moção na Corte Constitucional de Madri. Segundo ele, uma eventual independência da Catalunha seria inconstitucional.

No entanto, ainda que o tribunal suspenda o processo - como deve acontecer -, as legendas separatistas da região prometem seguir adiante. Nas eleições locais de setembro passado, esses partidos saíram vitoriosos e prometeram iniciar uma "desconexão" com a Espanha para chegar à separação definitiva dentro de 18 meses.

 A Catalunha é uma das zonas mais ricas do país, tem cerca de 7,5 milhões de habitantes e faz fronteira com a França. No ano passado, seu presidente, Artur Mas, que deve ser reconduzido ao cargo, tentou organizar uma consulta soberanista, mas foi proibido pela Corte Constitucional.

 Ainda assim, ele convocou uma votação simbólica, na qual mais de 80% dos eleitores votaram pela independência. "O grande objetivo é transformar a autonomia catalã em um Estado catalão. Teremos um referendo para criar uma Constituição catalã", declarou Mas nesta segunda-feira.

Leia tudo sobre: CatalunhaEspanha

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas