Não é a primeira vez que Israel é acusada de usar animais para atividades de espionagem – aves já teriam sido utilizadas

BBC

O grupo militante palestino Hamas diz ter capturado um golfinho que estaria sendo usado como um espião de Israel na costa da Faixa de Gaza.

O grupo islâmico, que controla Gaza, disse que o mamífero estava equipado com aparelhos de espionagem como câmeras, de acordo com o jornal Al-Quds. Ele teria sido descoberto por uma unidade naval do braço militar do Hamas e trazido para a costa. Imagens do suposto agente secreto marinho não foram divulgadas.

Segundo o grupo Hamas, golfinho estava equipado com aparelhos de espionagem como câmeras
Wikimedia Commons
Segundo o grupo Hamas, golfinho estava equipado com aparelhos de espionagem como câmeras

Segundo o Al-Quds, o novo recruta foi "despojado de sua vontade" e transformado em um "assassino" pelos serviços de segurança israelenses.

Isso mostra o tamanho da "raiva" e "indignação" com a formação da unidade de combate naval pelo Hamas, diz o jornal. Autoridades israelenses não comentaram as reportagens.

Não é a primeira vez que Israel é acusada de usar animais, como pássaros, para atividades de espionagem. Em 2010, o país rejeitou alegações egípcias de que uma série de ataques de tubarões no Mar Vermelho poderia ser o resultado de uma ação do Mossad, o serviço secreto israelense.

Semanas depois, um urubu encontrado na Arábia Saudita com um GPS também foi acusado de ser agente da Mossad. E em 2012, moradores de um vilarejo na Turquia acharam que uma pequena ave migratória encontrada morta com um anel na perna poderia ser um espião israelense. O temor se provou infundado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.