Papa expulsa padre espanhol acusado de pedofilia

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo arquidiocese, a decisão é "irrevogável e inapelável"

Pontífice removeu o sacerdote do seu estado clerical de maneira
AP
Pontífice removeu o sacerdote do seu estado clerical de maneira "irrevogável e inapelável"

A arquidiocese de Oviedo, na Espanha, anunciou nesta sexta-feira (29) que o papa Francisco expulsou o padre Jesús María Menéndez Suárez, mais conhecido como Chuz, que é acusado de pedofilia.

LEIA: Papa Francisco diz ter sensação de que seu pontificado será breve

Segundo um comunicado do órgão, o Pontífice removeu o sacerdote do seu estado clerical de maneira "irrevogável e inapelável". "Após uma série de denúncias contra o religioso em questão, a diocese de Oviedo havia pedido uma intervenção da Congregação para a Doutrina da Fé", diz a nota.

No último dia 6 de março, ainda de acordo com o documento, Jorge Bergoglio decretou a expulsão do padre. "A comunidade diocesana exprime a sua profunda dor pelos crimes que causaram um dano enorme, principalmente aos menores de idade", acrescenta o comunicado.

Suárez, de 63 anos, já estava suspenso de suas funções desde 2013 por causa de diversas acusações de pedofilia. Ele atuava como pároco em Villaviciosa, na região espanhola das Astúrias.

Leia tudo sobre: papafranciscopedofiliapadreexpulso

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas