Em caso raro, rinoceronte sobrevive após ter chifres arrancados por caçadores

Por AP - |

compartilhe

Tamanho do texto

Animal foi mutilado após ser sedado com um dardo; cerca de 1,2 mil são mortos todos os anos em ataques semelhantes

AP

Hope, ainda com a máscara protetora na face
Suzanne B. Rudham/Saving the Survivors/AP - 25.5.15
Hope, ainda com a máscara protetora na face

Uma rinoceronte-fêmea na África do Sul que sobreviveu pós caçadores lhe cortarem os chifres, deixando uma imensa ferida em sua face, teve uma piora em seu quadro médico.  Conservacionistas disseram nesta sexta-feira (29), porém, que o animal está começando a se curar.

Ao esfregar a face contra as paredes do local em que está confinada, a rinoceronte-fêmea danificou e forçou a retirada máscara protetora que usava, informou o grupo Saving the Survivors [Salvando os Sobreviventes, na sigla em inglês]. A máscara havia sido colocada na face do animal, que tem 4 anos de idade, em uma cirurgia realizada em 18 de maio na província de Eastern Cape.

Leia também:

- Rinoceronte invade a cidade e mata mulher no Nepal

- Caça ilegal mata o último rinoceronte de Moçambique

- Cientistas defendem legalização do comércio de chifres de rinocerontes

Os caçadores atingiram o rinoceronte-fêmea com um dardo de tranquilizante e cortaram os chifres enquanto ela estava sedada. Ela ganhou o nome de Hope [esperança, em inglês]

Num pronunciamento, o veterinário William Fowlds disse que a máscara protetora da Hope vai ser deixada de lado por ora, apesar das preocupações com o risco de infecção. Fowlds afirmo, entretanto, que a formação de tecido e o crescimento da circulação sanguínea na área afetada indicavam que a cura estava começando.

Veterinários temem que sem a proteção, larvas de mosquito possam se criar no local ferido
Suzanne Boswell Rudham/Saving the Survivors/AP - 25.5.15
Veterinários temem que sem a proteção, larvas de mosquito possam se criar no local ferido

Hope recebeu mais antibióticos e outros medicamentos para impedir que larvas de moscas se criem na ferida. O veterinário diz que a rinoceronte-fêmea ainda tinha um caminho "muito longo" de recuperação.

Invasores mataram mais de 1,2 mil rinocerontes em 2015 na África do Sul, que abriga a maior parte da população mundial desses animais. A procura por chifres de rinoceronte é alta em partes da Ásia, onde o material é visto como um símbolo de status e um medicamento, apesar de faltarem evidências de que ele tenha qualquer poder curativo. O chifre é feito de queratina, uma substância que também é encontrada nas unhas humanas.

Veja imagens do comércio de chifres de rinocerontes

Números divulgados pelo governo da África do Sul indicam que a caça aos rinocerontes aumentou em 2012. Acima, um pesquisador do Zimbábue retira o chifre de um rinoceronte. Foto: Michel Gunther/WWFApenas no ano passado, 668 rinocerontes foram mortos para a extração dos chifres, um número recorde e aumento de 50% em relação a 2011. Foto: Mark Carwardine/WWFA África do Sul abriga cerca de três quartos da população de rinocerontes do mundo. Acima, uma rinoceronte fêmea , que sobreviveu à retirada do chifre . Foto: Brent Sirton/WWFEspecialistas afirmam que a demanda crescente pelos chifres do animal na Ásia está fazendo com que o número de rinocerontes mortos aumente. Acima, fatias de chifre. Foto: Steve Raymer/WWFA matança dos animais está ocorrendo devido à crença de que o pó do chifre de rinoceronte tem poderes medicinais e pode ser usado em casos de câncer. Foto: Steve Raymer/WWFGrupos criminosos foram atraídos pelo dinheiro envolvido no comércio dos chifres. Estes grupos usam tecnologia sofisticada para capturar os animais. Foto: Steve Winter/ WWFÁfrica do Sul usou soldados para vigilância dos animais. Mas os números de 2012 indicam que a medidas não teve efeito. . Foto: Brent Sirton/WWFSegundo o relatório, a população de rinocerontes da África do Sul está em declínio devido à caça ilegal. Acima, o transporte de rinoceronte no Parque Hluhluwe-iMofolozi. Foto: Brent Sirton/WWFAcima, um rinoceronte sendo transportado para uma nova reserva, como parte do programa de conservação da WWF. Foto: Green Renaissance / WWF Desde o início de ano, cinco rinocerontes foram mortos na África do Sul. Mas, o problema não ocorre apenas no país africano. Acima, um crânio de rinoceronte. Foto: Wim Van Passel/WWFA Índia abriga mais de 2,2 mil animais, em áreas protegidas. Mesmo assim, em 2012, 18 deles foram mortos no país, dez a mais do que em 2011. Foto: Martin Hartley/WWF


Leia tudo sobre: rinoceronteáfrica do sulcaçadores

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas