Antraz é encontrado em carregamento norte-americano enviado à Austrália

Por AP | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Se caso for confirmado, há possibilidade de grande falha com amostras de antraz que deveriam ter se transformado em bactérias inativas em centro de testes nos Estados Unidos

AP

Uma autoridade da Defesa norte-americana afirmou que o exército dos Estados Unidos pode ter enviado uma amostra viva de bactérias de antraz por engano para um laboratório na Austrália, em uma leva de 2008.

Os detalhes do caso surgiram nesta sexta-feira (29). Se confirmado, há a possibilidade de uma grande falha com as amostras que deveriam ter se transformado em bactérias inativas no centro de testes do exército Dugway, no Estado de Utah, nos EUA.

Segundo a porta-voz do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês) Kristen Nordlund, as amostras suspeitas foram enviadas a 18 laboratórios em nove Estados dos EUA e à uma base aérea do país na Coreia do Sul.

Leia também:

Amostras de antraz foram enviadas por engano a 9 Estados dos EUA

Cientistas podem ter sido contaminados por antraz nos EUA

A previsão, segundo ela, é de que os resultados só saiam na próxima semana. Ainda não se sabe se o Pentágono irá tomar outras medidas para investigar o caso por conta própria ou se irá revisar os procedimentos do centro de testes Dugway.

Segundo outra porta-voz de um laboratório, nenhum funcionário ficou doente ou se encontra em perigo. Também foi confirmado que, por enquanto, não há nenhum risco para o público.

Jason McDonald, funcionário do CDC, disse que quatro pessoas em laboratórios em Delaware, Texas e Wisconsin foram recomendadas a tomar antibióticos como medida preventiva. Na base sul-coreana, cerca de 20 pessoas também estão sendo tratadas para uma possível exposição.

Leia tudo sobre: antrazaustrália

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas