Tunísia prende outro suspeito de ataque a Museu do Bardo

Por Ansa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cidadão marroquino pode ter participado do ataque que deixou mais de 20 mortos; prisão ocorreu no último domingo

 A Tunísia anunciou nesta quinta-feira (28) que prendeu um cidadão marroquino suspeito de ter participado do atentado contra o Museu do Bardo, em março, o qual provocou mais de 20 mortes, a maioria turistas estrangeiros.

Março: Estado Islâmico reivindica autoria do atentado em Túnis, na Tunísia

Sequestro terrorista deixa 19 mortos em Túnis, na Túnisia (Arquivo)
AP
Sequestro terrorista deixa 19 mortos em Túnis, na Túnisia (Arquivo)

De acordo com o ministro do Interior da Tunísia, Mohamed Ali Aroui, a prisão ocorreu no último domingo, na fronteira com a Líbia, em Ras Jedir. O marroquino é Noureddine Nabi, um dos cinco suspeitos ainda procurados pela Justiça. Os outros quatro são Adel Ghandri, Chemseddine Sendi, Maher Gadi e Noureddine Chouchane.

Logo após o atentado, a Tunísia prendeu mais de 20 pessoas. De acordo com o governo, Nabi teve "participação indireta" no atentado, assim como o outro marroquino Abdelmajid Touil, preso recentemente na Itália e à espera de extradição sob acusação de ter fornecido suporte logístico.

Tunísia: Ataque contra Museu do Bardo deixa 24 mortos em Túnis

Segundo os investigadores, o ataque teve o apoio de grupos extremistas islâmicos e a ação foi dividida em quatro etapas: organização, execução, apoio logístico e preparação da fuga após o crime.

No último dia 18 de março, dois terroristas invadiram o Museu do Barco e atiraram contra dezenas de turistas que visitavam o acervo, que fica na capital do país, Túnis. O portal especializado em monitoramento de terrorismo SITE informou que o grupo extremista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) assumiu a autoria do atentado.

Leia tudo sobre: Tunísiamuseu do bardoeiil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas