Já são mais de 2,6 mil pessoas mortas desde a autoproclamação do califado, em junho de 2014

Agência Brasil

O grupo terrorista Estado Islâmico executou pelo menos 464 pessoas no último mês na Síria, o que eleva para 2.618 o número de pessoas mortas desde a autoproclamação do califado, em junho de 2014.

Militante do Estado islâmico gesticula em veículo na zona rural da cidade curda síria de Kobani
Reuters
Militante do Estado islâmico gesticula em veículo na zona rural da cidade curda síria de Kobani

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) divulgou nestaquinta-feira (28), por meio de comunicado, que a contagem é recente – entre 28 de abril e 28 de maio deste ano, sendo que metade das vítimas morreram na cidade de Palmira.

Entre os mortos há 149 civis, dos quais 14 são menores de idade e 13 são mulheres e 67 morreram em Palmira, antiga cidade na Síria central localizada num oásis a cerca de 210 quilômetros a nordeste de Damasco.

Leia mais:

Estado Islâmico invade museu na Síria, mas relíquias já não estavam mais lá

Terroristas do Estado Islâmico deixam mais de 200 mortos ao ocupar cidade síria

Amamos a morte tanto quanto vocês amam a vida, diz terrorista do Estado Islâmico

Dados das autoridades sírias mostram um número maior de mortes e asseguram que o grupo radical decapitou pelo menos 400 pessoas, a maioria crianças, mulheres e idosos, em Palmira desde 20 de maio, data em que o grupo terrorista dominou a cidade.

A maioria dos executados – 296 no total – são do Exército sírio e de milícias aliadas, enquanto o restante são combatentes rebeldes rivais do Estado Islâmico.

Há uma semana, o observatório indicou que o grupo controlava mais de 50% do território sírio, o equivalente a 95 mil quilômetros quadrados, após recentes avanços na província central de Homs, onde se encontra Palmira.

Veja imagens de militantes do Estado Islâmico:


    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.