Soldado abre fogo contra colegas e deixa sete mortos na capital da Tunísia

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Não ficou imediatamente claro o que motivou o tunisiano a realizar os disparos; autoridades descartam ação terrorista

Um soldado tunisiano abriu fogo contra seus próprios colegas tropas em um quartel militar durante ataque incomum na capital do país nesta segunda-feira (25). Agência estatal informou que o atirador matou sete antes de ter sido morto.

Vítima é retirada por equipes de resgate do museu Bardo em Tunis, capital da Tunísia (18/03)
AP
Vítima é retirada por equipes de resgate do museu Bardo em Tunis, capital da Tunísia (18/03)

Março: Ataque contra Museu do Bardo deixa 24 mortos em Túnis

Citando fontes médicas, a agência de notícias TAP disse que outros dez se feriram, um deles está internado em estado grave. Não ficou imediatamente claro o que motivou o soldado a realizar o ataque. Reforços policiais foram enviados para a área após o tiroteio e também ocuparam ruas próximas. O Ministério da Defesa disse que uma escola nas proximidades foi esvaziada.

Autoridades procuraram acalmar o público em uma cidade onde as tensões permanecem altas depois de um ataque contra o Museu Nacional Bardo no dia 18 de março que deixou 22 mortos, a maioria turistas estrangeiros. O quartel Bouchoucha fica a cerca de um quilômetro do museu.

Dia 20: Polícia da Itália prende suspeito de ataque terrorista na Tunísia

O porta-voz do Ministério do Interior, Mohamed Ali Aroui, disse que o incidente desta segunda não está sendo visto como um ataque terrorista. Em entrevista à rádio nacional, ele explicou que tiros foram disparados somente dentro do quartel, sugerindo que era uma disputa interna. O porta-voz do Ministério da Defesa, Belhassen Oueslati, afirmou que a situação estava sob controle.

Desde a derrubada de seu ditador em 2011, a Tunísia tem lutado contra grupos militantes ligados aos extremistas do Estado Islâmico e da Al-Qaeda, que têm realizado ataques contra as forças de segurança.

*Com AP

Leia tudo sobre: tunisiatunis

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas